Um blog sobre planejamento,
gestão e otimização de cursos
e treinamentos online.

Fique por dentro de atualizações e novidades e potencialize seus resultados.

Acompanhe e faça parte!

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.

Proatividade: como desenvolver uma equipe com iniciativa?

Proatividade é uma palavra bastante falada no meio corporativo. No momento do processo seletivo, é uma das cinco habilidade que seis em cada dez empregadores buscam nos profissionais. E muitos, tanto empresa quanto profissionais, confundem “proatividade” e “produtividade”. Outros acham que é preciso ter o dom de ser proativo. Mas na verdade proatividade é uma […]

proatividade

Proatividade é uma palavra bastante falada no meio corporativo. No momento do processo seletivo, é uma das cinco habilidade que seis em cada dez empregadores buscam nos profissionais. E muitos, tanto empresa quanto profissionais, confundem “proatividade” e “produtividade”. Outros acham que é preciso ter o dom de ser proativo. Mas na verdade proatividade é uma habilidade que pode ser desenvolvida e aperfeiçoada. Vamos aprender mais sobre isso ao longo deste artigo.

O que é proatividade?

Um bom profissional hoje no mercado precisa ser proativo. Mas ser proativo também traz muitos benefícios para a vida pessoal. Já que proatividade é assumir responsabilidade de decisões tomadas, se antever perante situações e realizar um esforço para atingir um resultado e fazer algo acontecer. Há um conjunto de algumas características e comportamentos que caracterizam a proatividade nos indivíduos.

Como identificar a proatividade?

Indivíduos que têm iniciativa não necessariamente proativos. Ter energia, disposição natural e ser o primeiro a propor ou realizar algo não é o suficiente. Para que seja proatividade além de iniciativa, deve-se conseguir inovar e surpreender com seu desempenho. É importante também saber agir antecipadamente perante problemas ou até mesmo para evitá-los. Não somente isso: dar ideias, sugestões, apresentar alternativas, ampliar os horizontes e promover mudanças. E nas reuniões e, em outras situações no dia-a-dia da empresa, mostrar participação.

Proatividade x Produtividade

Mas, como disse anteriormente, em alguns cenários ainda não está claro o que é proatividade. Existe a ilusão de que alguém proativo é alguém que realiza e divide a atenção em muitas tarefas ao mesmo tempo e cumpre prazos. Além de se preocupar em resolver apenas o que é urgente. Isso nada mais é que ser multitarefa. Sendo assim, o foco acaba sendo finalizar as tarefas, de preferência sem o chefe mandar. E trazer resultados nem sempre é o que vai acontecer.

Por mais organizado que o profissional seja em suas atividades diárias, o mercado requer a capacidade de olhar adiante. Saber se planejar, assumir riscos e o controle de acordo com suas decisões no intuito de alcançar objetivos. Fazer as coisas acontecerem buscando informações e oportunidades para tal. Isso é o que diferencia proatividade de produtividade. Os proativos também dedicam-se ao máximo a tarefas, realizando uma de cada vez, para garantir que sejam bem executadas.

Por que a proatividade é importante?

Colaboradores que buscam crescimento profissional tem maior probabilidade de serem bem sucedidos. Mas os que buscam crescimento pessoal e, porque não, acadêmico também, tem mais sucesso ainda. Esses não ficarão estagnados.

O mercado de trabalho requer constante atualização e busca de informações, independente da área de atuação do profissional.  Além do conhecimento técnico, é interessante o conhecimento de uma esfera fora da sua de atuação, para agregar valor e ser mais completo. E como resultado final, ter destaque em relação aos outros colegas de trabalho.

Uma organização com colaboradores proativos, sempre por dentro das tendências e acompanhando o ritmo do mercado não terá um clima ultrapassado. E não somente atitudes dos colaboradores contribuem para o bom desenvolvimento da empresa. Líderes que inspiram, motivam e engajam seus colaboradores podem ajudar a aperfeiçoar a proatividade em cada um, de maneiras diversas.

Proatividade em diferentes perfis

É importante respeitar a individualidade de cada um, buscando o que os profissionais tem mais facilidade e propensão para desenvolver. Há os que têm tendência a liderança e ser proativos em gestão de equipes, os que são respondem apenas ao que lhe é conveniente e fazem o básico de suas funções e também os que deixam a desejar de alguma forma. Ninguém é perfeito. E no ambiente de trabalho há a troca interpessoal entre equipes e todos podem colaborar de alguma forma de acordo com seus perfis. Sabendo que não é impossível de mudar algo que incomode ou seja necessário.

Proativos, reativos e ativos

Os proativos, que já tiveram suas características citadas neste artigo, não se acomodam e vão em busca de novas soluções e desafios. Com isso, eles conseguem aumentar sua produtividade de maneira mais efetiva.

Existem aqueles que esperam que haja uma mudança no cenário que estão inseridos ou no cenário ao seu redor para se posicionar e agir. É como se estivessem em inércia e seus papéis fossem apenas reagir àquela circunstância. Chamamos esses profissionais de reativos. O comportamento deles é o mais temido pelos gestores e RHs.

Mas há também os ativos. Estes são capazes de ter a iniciativa e não esperar por outros e sabem como agir perante uma situação. De certo modo, um profissional assim consegue ter um desempenho razoável na sua rotina de trabalho, mesmo não sendo o ideal. Porém, caso ele queira evoluir, terá mais facilidade para alcançar a proatividade.

Imagine um grupo em que sua maioria é composta de reativos. O trabalho em equipe será muito difícil, a produtividade do grupo não será das melhores, resultados não serão alcançados como deveriam além de causar uma situação de estresse entre os membros que certamente não estarão alinhados.

Para que haja um equilíbrio e entendimento entre colegas de trabalho e a empresa, ser reativo também é necessário. Ter um percentual de reatividade, desde que não sejam 100% pode ser útil. Há situações em que deve-se apenas seguir regras e cumprir normas e para isso, ser reativo. Mas em uma equipe, balancear com componentes de perfis proativos e ativos é uma boa opção.

Como desenvolver perfis para melhorar a proatividade

Proatividade não é um dom ou talento. Algumas pessoas têm mais facilidade para ser proativas e acaba sendo algo natural para elas. Depende da personalidade e experiência de cada pessoa e como ela irá se comportar no ambiente de trabalho. São habilidades totalmente possíveis de serem desenvolvidas em profissionais que realmente buscam isso.

Autoconhecimento

Nem sempre depende da empresa dar o primeiro passo. O próprio funcionário, ao tomar a decisão de querer desenvolver sua proatividade, pode tomar a iniciativa nesse processo. Ninguém melhor que ele próprio para identificar na sua personalidade suas peculiaridades, diferenciais, o que pode ser melhorado e o que pode ser potencializado. Um bom exercício é fazer uma análise SWOT. Nada melhor que esse tradicional método para identificar forças, fraquezas, oportunidades e ameaças.

Outra prática que é muito legal para se tornar um hábito é sair da zona de conforto e ir em busca de experiências inéditas. Isso contribui para compreender melhor como nos comportamos em situações desconhecidas.  Tentar se envolver em alguma atividade dentro da empresa é uma maneira de estimular a aprender algo novo. E experiências novas são válidas não somente dentro do âmbito corporativo. Procure um hobby novo, conhecer lugares diferentes e explorar um universo cultural novo.

Em seguida, o empenho pessoal entra em cena. Cabe ao indivíduo se esforçar para tomar atitudes novas em situações já conhecidas, começar a se projetar dentro dos ambientes com outra postura. Com essa atitude, após um período, a nova postura será algo natural e parte da personalidade.

Influência de outras pessoas

Um líder, colega de trabalho ou alguém da empresa pode ser uma pessoa inspiradora e motivadora para obter a proatividade. A convivência e troca de experiências com essas pessoas contribuirá com o desenvolvimento de competências do funcionário que está buscando o aperfeiçoamento pessoal e profissional. O interessante é que a pessoa que será o espelho do funcionário ainda poderá ajudar observando avanços e sinalizá-los para um controle maior.

Planejamento

Pode não parecer, mas o planejamento é uma ferramenta poderosa para desenvolver a proatividade. Organizar os afazeres, objetivos e metas no papel, em uma planilha ou até mesmo em um aplicativo é fundamental. Dessa forma, você não será só produtivo, pois conseguirá dedicar-se e ter foco as tarefas, assim como dar prioridade ao que é mais imediato. Lembre-se da diferença que expliquei anteriormente em relação a realização de tarefas para ser produtivo e proativo.

Mais que usar o planejamento para seguir uma ordem do que será feito, medir o tempo de realização de cada item da lista é essencial. Assim facilmente você conseguirá organizar e otimizar seu tempo. Bem como ter noção de atividades, objetivos, metas e o tempo para cada um, prever problemas e já pensar na solução será uma realidade, o que também ajudará na otimização do tempo.

Treinamento e desenvolvimento na gestão de pessoas

Primeiramente, o mais indicado é que seja feito um mapeamento e uma análise comportamental dos funcionários. Assim fica fácil de identificar o que precisa ser desenvolvido ou melhorado. A partir disso, a gestão de pessoas consegue de maneira mais assertiva planejar o treinamento da equipe. Dessa forma, desenvolve-se de maneira específica em cada pessoa o que for necessário.

A aplicação do treinamento pode ser feita pelo RH ou responsável pela gestão de pessoas de maneira presencial ou até mesmo online. O formato de treinamento online é muito usado por empresas através de plataformas EAD e apresenta vantagens em relação à modalidade presencial.

Um treinamento através de um curso online desenvolve autonomia, organização, foco, disciplina e facilidade para resolver problemas. Para realizar as tarefas e entregar as atividades, será necessário iniciativa, planejamento, responsabilidade e o cumprimento de prazos. Essas competências desenvolvidas serão muito proveitosas no ambiente corporativo atual e no mercado de trabalho para oportunidades futuras.

Se você acha que o treinamento online é a melhor alternativa para sua empresa e precisa de uma plataforma ead para colocar em prática o que ensinamos neste artigo, também podemos ajudar.

Nós da Edools oferecemos a plataforma mais flexível para atender as necessidades de cada empresa. Você poderá disponibilizar o seu conteúdo de forma prática e precisa, sem complicações.

Entre em contato conosco ou deixe seu comentário, caso ainda precise de esclarecimentos sobre o assunto. Estamos aqui para ajudar!

Espero que tenha gostado do artigo.

Até a próxima!

Como a gestão por competência pode beneficiar seu RH?
Transmissão ao vivo: tudo o que você precisa saber

Deixe uma resposta

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.