Um blog sobre planejamento,
gestão e otimização de cursos
e treinamentos online.

Fique por dentro de atualizações e novidades e potencialize seus resultados.

Acompanhe e faça parte!

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.

Por que empreender (ou não) em um marketplace com EAD

Se você está considerando montar um negócio de ensino à distância, provavelmente já reparou nos marketplaces. Nele você cria cursos que ficarão disponíveis em sites específicos de EAD, divididos nos mais diversos segmentos. Eles têm de tudo, de aulas de yoga à engenharia mecânica (saiba mais neste outro post). À princípio, para quem apenas considera […]

Se você está considerando montar um negócio de ensino à distância, provavelmente já reparou nos marketplaces. Nele você cria cursos que ficarão disponíveis em sites específicos de EAD, divididos nos mais diversos segmentos. Eles têm de tudo, de aulas de yoga à engenharia mecânica (saiba mais neste outro post).

À princípio, para quem apenas considera a idéia de começar dar aulas online, esta pode parecer uma forma descomplicada de começar. Mas quando você conta apenas com este espaço corre o risco de comprometer o crescimento futuro do seu negócio.

Por que à principio parece bom?

Quando você instala o seu negócio em um marketplace, ele já oferece um ambiente segmentado e de consumidores razoavelmente qualificados escolhendo entre opções de conteúdos para consumir. Ou seja, já existe um mercado em potencial assim que você abre o negócio, então não se começa “do zero”.

Outro fator positivo é que a força da marca do marketplace em que você se instalou também contribui (sem custo adicional) para um fluxo constante de pessoas procurando e visitando os seus cursos em meio aos outros.

O problema reside no fato de a venda dos seus cursos depender totalmente do desempenho de acessos que o site de vendas está tendo. Por causa disso o negócio, apesar de já nascer com clientes potenciais, também já nasce com o seu potencial crescimento prejudicado.

Em segundo plano, o curso também fica refém da popularidade do segmento do site em que você se hospedou. Se o conjunto de ofertas do segmento (incluindo de concorrentes) não é bom, o número de acessos cai e menos pessoas descobrirão o seu curso. Ainda que ele ofereça o melhor conteúdo do segmento!

Portanto a diferença entre abrir uma escola própria ou em um marketplace é uma questão simples. No marketplace você está alugando um ativo de marketing, enquanto em uma escola própria você precisa desenvolver o seu próprio. Apesar de mais trabalhoso, isso pode ser bem mais compensador.

Por que desenvolver um ativo de marketing digital na sua própria escola pode ser melhor?

  • Resultados mais duráveis – Quando você desenvolve seu “ambiente social” próprio, o conteúdo depositado nele não some dos blogs e das redes sociais. Se você aprende sobre SEO e inbound marketing – ou contrata algum especialista – os benefícios de acesso se mantém razoavelmente. Apesar de serem ações que requerem manutenção, seus efeitos perduram por um tempo razoável quando bem feitas.
  • Autonomia – Quando começa a construir o seu castelo tijolo por tijolo, depois de um tempo você percebe que tem material desenvolvido para uma quantidade razoável de acessos orgânicos. De clientes SEUS, que acessam à SUA página.
  • Economia – À longo prazo os seus esforços individuais superam os custos de pagar a vaga do seu curso no marketplaces, podendo até superar os resultados de vendas e acessos obtidos nele.
  • Aproximação com o público – A relação que se constrói quando se desenvolve o seu próprio ativo de marketing digital é algo exclusivo e segue à segmentação que você definir. Ela carrega consigo a sua forma de se comunicar, a sua identidade e pode se tornar um diferencial competitivo.

O quanto vale uma legítima aproximação com o seu público e o conhecimento que se adquire à partir dela? Essa pergunta nos leva a uma questão ainda mais profunda. Que tipo de estratégia é a mais adequada para o seu negócio?

Uma é mais imediatista, pois já se inicia num ambiente cheio de potenciais clientes já segmentados. O outro é “mais sofrido”, mas com os benefícios de se construir um ativo na internet. Algo que no longo prazo trará uma “independência orgânica” de leads, clientes e receita.

Se você se identifica mais com a segunda estratégia, precisará de ferramentas que possam te ajudar na construção deste ativo. Clique aqui e descubra por que o Edools é a ferramenta que melhor se adapta a esse objetivo. Comente conosco qual estratégia vem de encontro aos seus atuais objetivos!

Como um blog pode fazer a diferença na promoção do seu EAD
A melhor dica para licenciar conteúdo em EAD

Comentários (4)


  1. 25/09/2014 às 14:28

    Olá Pedro.

    Creio que estou nesse lado “mais sofrido” da construção de uma escola EAD. Tenho um grupo no face com mais de 2500 membros bem segmentado e uma fanpage com 7500 likes alem do blog que entro no ar este ano. Planejo montar uma escola de EAD com foco no ensino da agricultura orgânica, produção de alimentos saudáveis na área urbana e rural.

    Estou analisando seriamente em utilizar a Edools como plataforma EAD. O que você acha desse segmento/nicho?

  2. Pedro Ivo
    25/09/2014 às 15:52

    Olá Fabio!

    É um segmento bastante interessante para se trabalhar com EAD. Pessoalmente, acredito que as ferramentas mais expositivas, têm tudo para tornar bem tangíveis assuntos como os procedimentos técnicos como o manejo de pragas, de plantas invasoras, colheita, armazenamento e transporte. Dariam um ótimo conteúdo para se ensinar em slides sincronizados com vídeo, ou mesmo em vídeos isolados, mostrando em detalhes esses assuntos.

    O Filipe trabalha aqui no nosso comercial e vai poder te ajudar mais ainda nessa questão.

  3. 26/09/2014 às 09:37

    Já estou escrevendo o roteiro do primeiro curso livre envolvendo o tema da agricultura orgânica.

  4. Jader Silva
    30/09/2014 às 22:07

    Ótimo artigo.

Deixe uma resposta

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.