Um blog sobre planejamento,
gestão e otimização de cursos
e treinamentos online.

Fique por dentro de atualizações e novidades e potencialize seus resultados.

Acompanhe e faça parte!

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.

Como criar um modelo de plano de aula

Não sabe o que é um plano de aula? Pode ficar tranquilo que nós vamos explicar com mais detalhes para quê esse recurso didático serve e ainda explicar como montar um para você aprender e aplicar na sua rotina.

modelo-de-plano-de-aula

Seja para Ensino a Distância (EAD) ou cursos presenciais, é fundamental montar um plano de aula para você se guiar e passar o conteúdo da melhor maneira para seus alunos.

O planejamento é essencial em qualquer linha de trabalho, independente da área.

Para abrir uma empresa, um empreendedor precisa de um Plano de Negócios; quando uma equipe de marketing tem que pensar em uma nova estratégia de venda, o Plano de Marketing ajuda o time a saber para onde ir.

O mesmo pensamento serve para um professor: o Plano de Aula é o material essencial para o profissional da área de educação.

Todos os educadores precisam traçar um guia para lecionar, principalmente os iniciantes. Esse conteúdo vai guiar os primeiros dias de aula, garantindo que tudo ocorrerá da melhor forma possível, mesmo tendo que lidar com a insegurança e o nervosismo.

Nesse artigo, você verá os seguintes tópicos:

Vamos várias dicas sobre plano de aula e assim te ajudar a potencializar suas aulas.

Confira abaixo!

O que é um plano de aula?

Já diria Gato de Cheshire, famoso personagem de Alice no País das Maravilhas: “Se você não sabe que caminho seguir, qualquer caminho serve”.

Na vida dos professores, o plano de aula ajuda as principais informações daquela disciplina ou curso. Ou seja, nele serão registrados pontos importantes como o que será lecionado, os temas das aulas e o objetivo de cada uma delas, bem como o objetivo geral daquele curso, qual será a metodologia e a forma de avaliação.

Para se orientar melhor, também é recomendado incluir as fontes e materiais de apoio, que, muitas vezes, já se provaram importantes em sala de aula.

O plano de aula enriquece o conteúdo para os alunos e facilita muito a vida do professor, que é o responsável não só pelo conteúdo ensinado, mas pela forma como ele é passado dentro de sala.

Este material é como uma previsão de tudo o que será feito e ensinado ao longo das aulas, sejam elas presenciais ou nos cursos de ensino à distância. Ele é um documento detalhado, com informações claras e um formato padrão.

Um bom professor sabe que o Plano de Aula não é um passo livre para deixar de planejar aula a aula, e sim, um documento que dá uma visão mais ampla, permitindo que cada lição individual faça parte de um plano maior.

Quando conseguimos enxergar o caminho completo, fica mais fácil saber quais passos dar.

O educador precisa saber de antemão o que será ensinado e como aquele conteúdo será passado para os alunos. Não basta apenas dominar o conteúdo: é preciso saber a melhor maneira de abordá-lo e como contagiar os alunos para que eles se interessem pelo tema.

E como fazer isso? Um plano de aula eficiência deve responder às seguintes perguntas: “Qual é a sua intenção? O que você pretende nessa aula? Quais são os seus objetivos?”. Esses questionamentos vão ajudar a ter uma base de entendimento sobre a importância desse documento e o que ele representa.

Em linhas gerais, podemos definir como um bom plano de aula algo que ajude a alcançar os objetivos que o professor tem com aquela turma. Dessa forma, o que vale para um determinado grupo de alunos não necessariamente funciona com outro.

Tenha em mente que a prática leva a perfeição e o tempo e a dedicação serão seus principais aliados para aprimorar o plano cada vez mais.

Qual a importância do plano de aula?

Conforme já foi dito, um plano de aula é um instrumento de trabalho do professor. Seus principais objetivos são aprimorar a prática pedagógica do profissional da área, melhorando suas técnicas em sala e, também, sua relação com os alunos.

É importante pontuar que esse documento é tão essencial para o professor como é para seus alunos no quesito aprendizado.

Além de servir de guia, ele é um material de estudo para o educador que precisa pesquisar assuntos, se atualizar em temas e refletir sobre diversos assuntos que serão passados. Se a aula é o momento de ensinar ao aluno, é na hora de montar o Plano de Aula que o professor aprende.

Nos cursos de EAD, esse documento funciona como um roteiro, garantindo que o professor manterá o foco no que é realmente relevante para a aula.

Como já sabemos, o meio online é mais propenso a oferecer distrações, então é importante ser objetivo e didático para manter o aluno sempre ligado.

Montar um plano de aula requer dedicação e objetividade. Começar o período de aulas ou cursos já sabendo quais assuntos serão abordados, e de que maneira isso irá acontecer, influencia muito no desempenho do professor e, como consequência, dos alunos.

Como fazer um plano de aula?

Agora que já entendemos o que é um plano de aula e como ele é importante dentro da sala, chegou a hora de irmos para o próximo passo: dicas práticas de como montar esse guia de maneira eficaz e que trará resultados positivos.

Primeiro, o docente precisa escolher a metodologia que irá utilizar. Ou seja: escolher qual caminho ele irá seguir para alcançar seus objetivos nas aulas. Para isso, ele pode usar duas ferramentas fundamentais.

Veja abaixo quais são e de que maneira elas ajudam:

Recursos didáticos

Os recursos didáticos são as ferramentas que o professor irá utilizar para empregar a sua metodologia. Em resumo, são instrumentos que ajudarão no aprimoramento das aulas. Por exemplo: em aulas presenciais podemos considerar apresentação de filmes em sala de aula, matérias de jornais ou revistas ou livros extracurriculares. Já em cursos de EAD, costuma-se utilizar e-books para aprofundar algum tema dado durante o curso.

Além disso, as avaliações entram como instrumento dos recursos didáticos por avaliar se o tema passado foi bem absorvido por seus alunos. Seja trabalho ou prova, a forma de avaliar também é importante constar no Plano de Aula.

Estratégias

Em primeiro lugar, saiba quem é seu aluno. Assim como um profissional de Marketing precisa montar a persona que represente seu público-alvo para direcionar as campanhas, o professor precisa entender quem é seu aluno. Só assim ele vai saber o melhor modo para passar as informações necessárias e de que maneira fará isso.

Logo, as estratégias ajudam a trilhar o caminho escolhido para o ensino em sala de aula. O professor pode fazer uma aula expositiva dialogada, um estudo dirigido, estudo de caso ou ensino com pesquisa. São muitas opções, inclusive as mais criativas, como júri simulado, brainstorming ou fórum. Tudo vai depender da linha adotada e se tais atividades fazem sentido naquele momento e com aquele público.

Passo a passo para montar um plano de aula

1º Passo: Identificação

O velho clichê se aplica aqui: vamos começar do início, com o curso, nome da disciplina, e quais serão as turmas que irão aprender sobre o assunto.

2º Passo: Tema

É o assunto que será abordado em uma determinada aula, e não no curso inteiro. É claro que o tema deve fazer sentido dentro da grade curricular, seguindo uma linha de raciocínio.

Um exemplo: você é um professor de Marketing em um curso de EAD e o nome do curso é Produção de Conteúdo Para a Web. Ele é dividido por aulas. Um tema específico do curso seria personas, que ocuparia um determinado tempo na grade.

3º Passo: Objetivo

É o que o professor deseja alcançar ao final de cada aula, ou seja, o que os alunos devem aprender naquela aula.

Voltemos ao exemplo dado no segundo passo: em uma aula sobre o tema personas, qual seria o objetivo? A resposta correta seria fazer que os alunos entendessem o que é Persona e como os profissionais de Marketing usam esse conhecimento para vender determinado produto para o público-alvo.

É importante ressaltar que o objetivo não precisa ser um só. No caso acima, além de explicar o que é persona, você pode apresentar as diferenças entre Persona e público-alvo e tornar o entendimento dos seus alunos mais amplo.

4º Passo: Conteúdo

Aqui nos referimos ao conjunto de valores, conhecimentos, habilidades e atitudes que o professor deve ter para garantir o desenvolvimento e a socialização do estudante.

É classificado em três categorias: conceitual, aquele que envolve a abordagem de conceitos, fatos e princípios; procedimental, em que o aluno deve aprender o que fazer; e o atitudinal, em que ele aprende a ser.

5º Passo: Metodologia

É o método que será utilizado em cada aula, ou seja, a maneira que o professor irá ensinar aquele tema. É a forma, pela qual, o docente manterá a atenção de seus alunos em cada aula. Estudos de caso, aulas expositivas, debates, trabalhos em grupo, simulações.

Todas essas opções são possíveis e cabe ao profissional decidir qual é a melhor para aquela turma.

6º Passo: Cronograma

Em certos momentos, nem todo o conteúdo direcionado para uma aula consegue ser passado no tempo pré-determinado. Por isso, é importante elaborar um cronograma com datas, prazos e horários.

Se for um professor experiente, saberá quanto tempo leva cada tema e quais precisarão de uns minutinhos ou até mesmo aulas a mais.

O mesmo serve para os cursos EAD. Vídeos muito longos costumam afastar os alunos. O ideal é dividir a aula em pequenos blocos que começam e terminam em até cinco minutos, mas que fazem parte de um conjunto maior de vídeos.

7º Passo: Avaliação

A avaliação é essencial para saber se a turma assimilou tudo o que foi ensinado ao longo das aulas. É neste momento que o professor consegue entender se a meta foi atingida dentro do tempo esperado e se o cronograma alcançou seus objetivos.

Os métodos de avaliações são amplos. Podem ser exercícios de fixação, testes, debates e, em último caso, exercícios em casa. Estes últimos não são tão populares, mas podem ser essenciais para não atrasar o cronograma.

No caso de cursos EAD, por exemplo, monte um blog, fóruns, compartilhamento de dúvidas. O importante nesses casos é fazer com que seus alunos interajam e compartilhem as informações que foram passadas nas aulas online, fomentando a discussão entre si.

8ª Passo: Referências

Última parte do Plano de Aula, mas não menos importante, é a área das Referências. É aqui que o docente pontua as fontes utilizadas para a elaboração do que será passado. Ao fim de cada aula, ele poderá compartilhar essas referências para que os alunos que queiram se aprofundar mais naquele assunto.

Em cursos EAD, esse conjunto de informações pode estar em formato de ebook, que geram valor e conhecimento da marca.


Agora você tem tudo o que precisa para montar um Plano de Aula que atenda às suas necessidades.

Pode parecer complexo no início, mas com o tempo você irá perceber como um plano bem elaborado ajuda a visualizar metas, e quais são os melhores caminhos para alcançar seus objetivos, e assim passar para os alunos o conteúdo necessário.

Quer mais dicas sobre esses e outros temas? Assine nossa Newsletter:

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Até a próxima!

Como reconhecer valores humanos em uma empresa?
Como ganhar dinheiro no YouTube: o guia completo

Deixe uma resposta

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.