TUDO SOBRE EAD

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Por que usar o M-learning no seu EAD?


Por que usar o M-learning no seu EAD?

M-Learning, de mobile learning, ou aprendizagem móvel é uma das diversas modalidades encontradas na EAD(educação a distância), ou e-learning, que utiliza dispositivos móveis como apps, smartphones ou tablets.

A educação a distância por meio de e-learning deixou de ser só uma ideia inovadora e tornou-se uma prática fortemente envolvida com a evolução na maneira de transmitir e absorver conhecimento.

Basicamente, o M-Learning é uma maneira excitante, envolvente e motivadora de tentar melhorar a aprendizagem dos nossos alunos usando tecnologias móveis.

O aprendizado eletrônico já é utilizado em diversos negócios no Brasil e no mundo. Esse processo é considerado a “evolução” das principais tendências da educação a distância. Assim, o M-Learning pode ser apontado como uma “evolução” do próprio e-learning.

A presença massiva da mobilidade no mundo atual é inegável. Qualquer smartphone, por mais barato que seja, possibilita ao usuário carregar a internet no bolso e utilizar os variados sistemas para as mais diversas tarefas do dia a dia.

Se antes as aulas eram dadas em locais e horários determinados, hoje o ambiente virtual traz novas possibilidades para você escolher hora, lugar a frequência com que deseja aprender.

Existem já algumas universidades, em que o M-learning é usado para complementar o conteúdo dado em sala de aula ou até mesmo nos cursos EAD com sugestões de leitura, dicas de pesquisa, exercícios, etc.

O M-Learning está gerando uma grande expectativa no sistema educacional, já estão se realizando iniciativas em ambientes empresariais e de pesquisa em centros acadêmicos.

A educação sempre foi uma das principais preocupações e prioridades para uma sociedade que busca enriquecimento em todos os aspectos. Os métodos ultrapassados, pouco intuitivos, e a crescente necessidade de capacitação, formação e atualização profissional, aliada à mobilidade, contribuíram para o surgimento deste tipo de tecnologia.

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Para darmos continuidade, listarei agora quais são os objetivos encontrados em uma aplicação M-Learning:

Objetivos

  • Melhorar os recursos para o aprendizado do aluno, que poderá contar com um dispositivo computacional para execução de tarefas, anotação de ideias, consulta de informações via
  • Internet, registro de fatos através de câmera digital, gravação de sons e outras funcionalidades existentes;
  • Prover acesso aos conteúdos didáticos em qualquer lugar e a qualquer momento, de acordo com a conectividade do dispositivo;
  • Aumentar as possibilidades de acesso ao conteúdo, incrementando e incentivando a utilização dos serviços providos pela instituição, educacional ou empresarial;
  • Expandir o corpo de professores e as estratégias de aprendizado disponíveis, através de novas tecnologias que dão suporte tanto à aprendizagem formal como à
    informal;
  • Fornecer meios para o desenvolvimento de métodos inovadores de ensino e de treinamento, utilizando os novos recursos de computação e de mobilidade.

Nas empresas, nas escolas ou de maneira independente, o M-Learning democratiza a educação e motiva os alunos.

A possibilidade da tecnologia permite tanto o uso dos aparelhos como plataforma única do treinamento em questão como o uso do compartilhamento de arquivos, gráficos, anexos e apresentações em aulas presenciais.

O M-Learning não almeja substituir nenhum processo de ensino aprendizagem, pelo contrário, esta tecnologia possibilita ser um tópico auxiliador neste processo, sendo apenas um meio de interação e ajudando o discente em suas atividades.

Assim como funcionam as plataformas online, a parte técnica não vem para substituir ou competir com educação tradicional, mas sim para complementá-la. Os sistemas bem desenvolvidos podem e devem fazer conexões, referenciando outros materiais de apoio para aperfeiçoar a melhoria contínua do estudo.

Os dispositivos móveis podem ser muito além de um instrumento de entretenimento e diversão, a intenção é procurar mostrar como um aplicativo móvel através de suas funcionalidades pode ser um objeto relevante quando falamos em educação

O M-Learning permite trazer novas tecnologias para a sala de aula e os professores através de tecnologias móveis podem fornecer aos alunos conteúdos a qualquer hora.

Pode facilitar aos alunos o processo de aprendizagem pela comodidade e rapidez de acesso à informação, por se tratar de um dispositivo pessoal com grande acolhimento e por estar sempre à mão.

Metodologia do M-Learning

O M-Learning tem como meio de comunicação a Internet, e é através desta que os envolvidos poderão trocar informações e realizar interações.

A vantagem de usar esse tipo de metodologia é o fato de ser específica para a web e, também a possibilidade de poder retornar a qualquer fase em qualquer momento do desenvolvimento da aplicação, como para possíveis correções, por exemplo.

Através de estudos realizados, é possível relatar que as tecnologias móveis estão entrando como o grande recurso da área educacional, seu uso cresce de forma progressiva, e com isso retira os questionamentos e desconfianças que existiam sobre isso.

O principal foco dessa metodologia é o aluno e, mostrar que o celular, smartphone ou tablet pode ser muito mais útil que apenas uma ferramenta de entretenimento, possibilitando também ao aluno interagir no curso, como se estivesse em uma sala de aula presencial.

Além da reduzir as barreiras de localidades, possibilita pessoas com mais idade que ou com dificuldade de se adaptar aos sistemas de e-learning via internet a terem maiores chances de aprender com o ensino a distância, já que os dispositivos móveis têm uma tendência a ter uma maior facilidade de manuseio por telas de touch (toque em português) e softwares com estruturação mais simples etc.

Além da facilidade de alcance, uma das qualidades mais relevantes do M-Learning é a de possuir uma exclusividade de aprendizagem. O “M” no início vai muito além do mobile-learning (aprendizagem móvel) e ganha um novo significado, o “me-learning” (como aprendizagem para mim).

Essa autonomia dos alunos gera resultados para ele mesmo e para o grupo. A troca de aprendizado ocorre quando professor e o aluno têm voz simultaneamente, o que gera diversos benefícios para ambos.

Seja em uma instituição ou organização, o aprendiz pode se desenvolver no que ele é melhor. Sempre apostando nas próprias qualidades através de games (gamificação), vídeos e apresentações que melhor se adaptarem.

Vamos às dicas? Veja agora como você deve desenvolver o M-Learning na sua instituição ou empresa da melhor maneira:

Pense no design do seu M-learning

Desenvolver instrução para telefones móveis cria alguns desafios únicos no design. É o tal do “design responsivo”: ou seja: o design gráfico tem de funcionar muito bem em uma tela muito pequena, para decisões sobre o que plataforma usar para “entregar” o conteúdo” de forma satisfatória.

Se você está construindo uma instrução para a entrega de conteúdo em um smartphone ou tablet, lembre-se de projetar para o toque. Isso se aplica, naturalmente, aos botões, que você vai querer implementar e que devem ser fáceis de tocar com a ponta do dedo.

Uma boa ferramenta para isto é o próprio Edools, que te ajuda a desenvolver as instruções sem ter que se preocupar com formatos do curso ou questões da rolagem.

Tamanho do conteúdo

Tenha em mente que as pessoas não estão sempre sentadas em frente ao computador e isso impacta diretamente sobre os materiais de e-learning criados. Tenha uma forma de manter as coisas muito práticas e direto ao ponto.

Sempre disponibilize materiais realmente fáceis de usar e mais flexíveis possíveis. Você vai se perguntar: quanto tempo é considerado muito longo?

Então, fica a dica: divida os conteúdos em poucos minutos como uma maneira de forma rápida e econômica de enviar conteúdo através de redes móveis.

O que deve ser alcançando é um envolvimento mais interativo no qual o usuário trabalha em conjunto com o conteúdo. A curta duração funciona suporta a questão da brevidade para M-Learning.

Por exemplo, vídeos de aproximadamente 500MB que são grandes na versão desktop do seu curso levam muito tempo para baixar no aparelho móvel do seu aluno, fazendo com que perca a utilidade de ser prático e versátil.

Crie uma versão menor de resolução do vídeo, ou corte sequências desnecessárias para que ele seja mais rápido e direto ao ponto para o usuário móvel.

O papel do professor no M-Learning

A tutoria é a peça chave na educação a distância contemporânea, pois é esta função garante e viabiliza toda a articulação entre “processo” e objetivos finais”. Quem colabora em dar sentido àquilo que está sendo construído enquanto conhecimento, é de fato o professor.

O papel do professor EAD deixa de ser o transmissor de conhecimentos e passa a ter um papel de orientador, facilitador do conhecimento, de suporte da aprendizagem, que dirige, orienta e acompanha o decorrer das atividades, estimulando a interatividade e alimentando a motivação.

É necessário estar atento aos vários ritmos, às descobertas, pois o professor será o elo entre todos, aquele que promove a união e harmonia em todo o processo.

O professor planifica a atividade e depois segue o fluxo da conversação, oferecendo a orientação necessária, em vez de se limitar a seguir estritamente um plano previamente elaborado ou a seguir linearmente os conteúdos”.

A integração das TIC (tecnologias da informação e comunicação) na sala de aula, reforçada atualmente com a invasão das tecnologias móveis, em qualquer hora e lugar, veio acrescentar às competências do professor (científicas, curriculares, pedagógicas, etc).

Competências digitais que lhe permitam conseguir fazer de forma autônoma a exploração pedagógica de novas aplicações que surgem diariamente no e-learning.

O professor tem o papel fundamental em todo o processo de transmissão de conteúdo via M-Learning, visto que ele será uma das principais formas de manter os alunos interessados nas aulas, pois a chance de dispersão para outros canais virtuais é grande. Portanto, cabe ao professor fazer com que não haja nenhuma distração em momentos como esse, por exemplo.

Conclusão

A tecnologia é, inegavelmente, o aspecto principal desse século, forçando uma nova configuração do mundo, abrigando uma perceptível mudança nas relações de produção entre os homens, o que acaba por afetar a vida social como um todo.

As interações se processam, então, num ritmo mais acelerado, em um mundo interligado em redes, onde a tecnologia computacional é a grande catapulta para o tão esperado progresso das nações.

No entanto, não se pode falar em progresso, em evolução em escala mundial dos negócios, das formas de produção, da vida social, sem mencionar os indivíduos que está formando-se para participar dessa alardeada (re)evolução, e que também serão, os artífices do momento histórico vivido.

Diante disso, o conhecimento não pode mais se dar de maneira linear, mas em sua forma descontínua, transdisciplinar, como a própria informática e seus avanços na área da comunicação e da informação.

A aprendizagem com mobilidade cumpre um papel importante no próprio desenvolvimento dos métodos educativos, enquanto seu advento é pauta de discussões das várias ciências, como as da Educação, Psicologia e as Ciências da Computação, por exemplo, que encaram uma nova forma de relação entre indivíduos aprendizes e aprendizado.

Há algum tempo, a metodologia e-learning pareceu ser um exemplo extraordinário de tecnologia aplicada à educação. No entanto, tornou-se obsoleta em não derrubar alguns paradigmas, como os dos espaços formais e fixos em que se processam o ensino aprendizagem.

O método do M-Learning, no entanto, inova, mostrando que a tecnologia móvel, que mediará o conhecimento e os indivíduos aprendizes, permite que as ações no ato educativo sejam negociadas, dinamizadas, para além de contextos pré-estabelecidos.

A tecnologia sempre esteve em parceria com o desenvolvimento humano, desde que o homem pôs o fogo a serviço de uma verdadeira melhoria na sua qualidade de vida, a milhares de anos passados.

Atualmente, a tecnologia cumpre o mesmo papel: de alguma maneira, facilitar a interação do indivíduo com o mundo que o rodeia e também com os seus pares. Seja em processos de trabalho, ou mesmo para adquirir um conhecimento novo ou aprimorar o já estabelecido, não se pode relegar o avanço tecnológico, como pressuposto da própria história da humanidade no planeta.

Em virtude da facilidade e independência de fronteiras físicas que o M-Learning oferece um vasto potencial para melhorar todos os tipos de ensino: presencial, misto ou a distância.

Hoje em dia são poucas as pessoas que não possuem um aparelho móvel, portanto, utilizar este crescente método das tecnologias móveis para motivar, diversificar e envolver os alunos nesta nova era do e-learning pode ser uma ferramenta de ouro para o seu EAD.

E você, já utiliza o M-Learning em seu EAD? Conte para nós sua experiência! Se tiver dúvidas ou sugestões, deixe um comentário no final desta página ou entre com contato conosco, combinado?  

Até a próxima!

Teste gratuitamente o Edools por 15 dias.

A importância de um profissional de pedagogia empresarial
O que é e como funciona o blended learning?

Conteúdo VIP

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Sobre Rafaela Espíndola

Graduanda em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda. Faz parte do time de Marketing e Comunicação do Edools. É apaixonada por criação e inovação. Não consegue esconder que é canceriana dos pés à cabeça.
Ver todos os posts de Rafaela Espíndola

Deixe uma resposta