Um blog sobre planejamento,
gestão e otimização de cursos
e treinamentos online.

Fique por dentro de atualizações e novidades e potencialize seus resultados.

Acompanhe e faça parte!

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.

Como gravar um vídeo de tutorial de forma profissional

Cada vez mais, as estratégias de marketing das empresas precisam incluir os vídeos. Ele é um dos formatos mais consumidos atualmente, e atrai mais pessoas para o site da sua empresa. O texto a seguir traz as principais dicas para fazer uma gravação profissional que vai agregar mais qualidade ao seu conteúdo.

tutorial

O vídeo se tornou uma das ferramentas principais para promoção e sustentação de conteúdo em canais pessoais e corporativos. Cada vez mais as estratégias de marketing das empresas precisam ter os vídeos.

Ele é um dos formatos mais consumidos atualmente, e atrai mais pessoas para o site da sua empresa.  Por isso, é necessário entender como gravar um vídeo de tutorial de forma profissional.

Em 2017, a Wyzowl lançou um estudo intitulado The State of Video Marketing 2017, que trouxe o dado que indicava que 76% das empresas acreditavam que o uso de vídeo marketing aumentou o tráfego orgânico.

Esse número não é à toa: 95% dos usuários recorrem aos vídeos para entender melhor um produto. Por isso, os tutoriais estão entre os formatos mais consumidos, sendo citados por 50% dos entrevistados de uma pesquisa realizada também em 2017 pela Curata, plataforma de Content Marketing.

Confira alguns tópicos que abordaremos no texto a seguir:

É muito importante que os pequenos negócios comecem a olhar para esse tipo de conteúdo de uma forma mais profissional, como parte da sua estratégia de marketing. Com esses dados em mente, muitos empreendedores entendem a importância de fazerem tutoriais para atrair mais clientes.

O texto a seguir traz as principais dicas para fazer uma gravação profissional que vai agregar mais qualidade ao seu conteúdo. Confira:

O que é um vídeo tutorial e por que apostar nele?

Como o nome já indica, um vídeo tutorial ensina a audiência a fazer alguma coisa. Pode ser algo como instalar um programa no computador, fazer determinada receita ou reformas dentro de casa.

O público-alvo desse formato busca uma resposta, ou seja, eles querem saber como realizar determinada tarefa. O tutorial deve responder isso da melhor forma possível, passando por todos os pontos cruciais até chegar ao objetivo final.

Os tutoriais são muito procurados e dá ao produtor de conteúdo a chance de se conectar com o seu público. É também uma excelente forma de se estabelecer como especialista naquela área, e usar sua expertise para colher e qualificar leads para então convertê-los com algum tipo de conteúdo pago (ebooks ou cursos à distância).

Porém, não basta apenas fazer um vídeo tutorial: para ele dar certo, é preciso levar em consideração questões técnicas, como o uso de equipamentos, as necessidades da sua audiência e qual é o melhor formato a ser gravado.

A pesquisa Social Video Forecast, da Animoto, concluiu que 76,5% dos donos de pequenos negócios consideram que o uso de vídeos tem impacto direto nas suas operações, e que o vídeo marketing é uma habilidade mais desejável que e-mail, conteúdo escrito e noções de design.

Tipos de tutoriais

A criatividade é o limite para quem quer criar um vídeo de “how to” (como fazer), mas hoje em dia são três os tipos mais comuns de tutoriais:

Screencast

Esse formato é muito usado em tutoriais de instalação e uso de programas no celular ou no computador, exigindo pouco investimento para a sua produção. O screencast grava a tela do aparelho com o objetivo de mostrar o passo a passo do conteúdo ensinado. Não é preciso tanto investimento em tecnologia: dependendo do caso, é possível gravar usar programas simples, como o Microsoft Power Point.

Depois de gravação de tela, o criador de conteúdo pode escolher a melhor forma de passar as instruções, seja acrescentando legendas ou usando a narração, que pode ser gravada posteriormente com a ajuda de outros softaews, como o Aiseesoft Video Converter Ultimate.

Videoaula

Essa é a forma mais conhecida de fazer um tutorial, e funciona em um modelo muito parecido com uma sala de aula. Há uma interação com o público, no estilo aluno-professor, com falas diretas para a audiência. É ótimo para assuntos que precisam unir a audição com o visual, como os famosos tutoriais de maquiagem.

As videoaulas também são bastante utilizadas em cursos à distância, gratuitos ou pagos, e pedem uma atenção especiais com equipamentos e o cenário escolhido para a gravação. Nos tópicos a seguir, esses fatores são detalhados com maior profundidade.

Tutorial visual

Os tutoriais visuais são confundidos com as videoaulas, então é preciso saber diferenciar os dois formatos. O primeiro conceito usa apenas imagens para passar o conhecimento, sem nenhum tipo de explicação auditiva. Para ajudar o espectador a entender melhor o que está acontecendo, usam-se legendas.

Mas atenção: esse tipo de tutorial deve ser usado para assuntos mais fáceis, que não exigem muito conhecimento da audiência. Se não, corre o risco do vídeo ficar muito complexo e perder a atenção das pessoas.

Esse formato ganhou bastante popularidade com o Tasty, produto do Buzzfeed que aposta em receitas rápidas gravadas em vídeo. A plataforma bateu recordes de audiência no Brasil, colocando o país no Top 3 dos mercados mais importantes para a marca.

Como gravar um vídeo de tutorial de forma profissional?

Um bom vídeo com qualidade de som e imagem atrai bem mais do que um gravado de qualquer jeito. Isso não significa gastar muito dinheiro com equipamentos: hoje em dia, a tecnologia avançou a ponto de ajudar pequenos e médios empreendedores a fazer conteúdo de qualidade a um preço bem mais em conta.

Ainda assim, é preciso pensar em um orçamento máximo para esse tipo de formato, que deve englobar os equipamentos utilizados, os programas escolhidos e se é necessário contratar alguém para fazer a edição.

Tenha os equipamentos certos

Já não é mais necessário ter uma câmera profissional ou semi para gravar bons vídeos. A maioria dos smartphones já vem com câmeras de alta qualidade, que gravam em HD (1280×720) ou FULL HD (1920×1080).

Se o formato escolhido for videoaula, use um tripé ou apoie o aparelho em uma superfície estável; já os tutoriais visuais pedem algum tipo de estabilizador para garantir que todas as imagens sejam gravadas da mesma forma.

Por fim, preste atenção no som e na iluminação. Os aparelhos já vêm com microfone, mas é melhor ter um externo, que capta o áudio com mais clareza. Use focos como luminárias para garantir que o cenário apareça bem, mas tome cuidado com pontos em que a luz pode estourar, pois isso compromete a qualidade do vídeo.

Teste antes

Antes de começar as gravações, teste tudo o que puder. Isso inclui os equipamentos para verificar se todos estão funcionando da forma adequada ou se é necessário fazer algum ajuste, bem como ver se o enquadramento faz sentido. Verifique se o microfone está captando o som sem interferências e teste quanto tempo a bateria dura sem precisar ser trocada ou carregada.

É necessário também testar o produto que será abordado, seja fazendo a receita antes ou instalando o programa. O vídeo deve correr da forma mais sutil possível, então saiba quais são as etapas que devem ser feitas antes de gravar para verificar se todos os ingredientes foram comprados ou para saber o que esperar durante a instalação, por exemplo.

Esses testes vão ajudar muito na hora de montar o roteiro do vídeo, que será abordado no tópico a seguir.

Crie um roteiro

Depois de testar se está tudo no seu devido lugar, é preciso montar o roteiro do vídeo. Todo conteúdo deve ter seu início, meio e fim e cada etapa deve ter o seu propósito. Gravar sem um roteiro faz com que o vídeo fique muito longo e sem um caminho claro, o que dificulta muito na hora de editar e passa ao público a sensação de despreparado – e isso deve ser evitado a todo o custo.

Pense no propósito daquele vídeo e em quais são as necessidades da sua audiência. Uma boa forma de montar um roteiro completo é respondendo às seguintes perguntas:

  • Meu vídeo é sobre o quê?
  • O que eu vou ensinar nesse tutorial?
  • O que eu preciso ter para montar o tutorial?
  • Quais são as principais dores dos meus espectadores?
  • Como eu posso facilitar a vida deles através desse vídeo?
  • Qual é o meu objetivo com esse conteúdo: me tornar referência na área, gerar tráfego para o meu site ou vender um serviço/produto?

Repasse o roteiro algumas vezes antes de gravar para garantir que todos os pontos foram cobertos e que você tem domínio total do assunto abordado.

Use bullet points em vez de um texto corrido para não ficar muito preso a falas: o objetivo é ter um guia, e não parecer um ator diante da câmera. Tenha espaço para improvisar se achar necessário.

Luz, câmera, ação!

Uma vez que os equipamentos foram testados e o roteiro revisado, é hora de gravar. Formatos como screencast não precisam de cenário (afinal, só a tela será gravada), mas videoaulas e tutoriais visuais precisam se atentar para esse fator.

O primeiro pode utilizar acessórios que tem a ver com o tema abordado, como livros da área, mas sem exagero para não tirar atenção do que realmente importa: a pessoa que está passando o conteúdo.

Já os tutoriais visuais são bem mais simples e devem aparecer apenas o que for utilizado para ensinar. Se objetivo for ensinar uma receita, por exemplo, enquadre apenas o fogão, a panela e deixe espaços livres para mostrar os ingredientes usados e para acrescentar a legenda na pós-produção.

A hora da edição vai ser mais tranquila se forem utilizados marcadores para indicar o início das falas depois de eventuais erros, então pré-estabeleça algum sinal ou use um objeto com este fim.

Pós-produção

Muitos acreditam que um vídeo de tutorial profissional depende apenas dos equipamentos utilizados e da desenvoltura em frente às câmeras. Porém, a parte da pós-produção é de extrema importância para garantir a qualidade do material entregue.

A primeira parte consiste em assistir todo o material bruto, deletando os erros de fala, os espaços “vazios” provocados por pausas muito longas e eventuais cortes provocados por interrupções externas (como barulho do trânsito).

Depois, é hora de pegar o roteiro utilizado na pré-produção para entender qual o caminho a ser seguido. O propósito é fazer com o que o vídeo seja o mais fluido possível, com ritmo e sem falhas de continuidade.

Com o vídeo montado na ordem desejada, chegou a hora de usar efeitos gráficos, como legendas, sons e outros elementos para manter a audiência ao longo do conteúdo. Deixe a marca da sua empresa no canto inferior esquerdo ao longo do vídeo, usando o efeito de transparência para deixá-la mais discreta.


As dicas acima reuniram os principais passos que deve ser seguidos para gravar um vídeo de tutorial de forma profissional. Ao acrescentar esse formato no seu planejamento estratégico, são muitas as chances do seu negócio alcançar novos patamares e assim potencializar suas vendas.

Para saber mais sobre ferramentas que vão ajudar a sua empresa, continue acompanhando o blog e inscreva-se na nossa newsletter:

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!

O que é liderança tóxica e como se defender desse tipo de líder?
Descubra quais são as principais competências do empreendedor

Deixe uma resposta

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.