Um blog sobre planejamento,
gestão e otimização de cursos
e treinamentos online.

Fique por dentro de atualizações e novidades e potencialize seus resultados.

Acompanhe e faça parte!

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.

Soft Skills: habilidades que destacam profissionais

Cada ano que passa, o mercado de trabalho fica mais competitivo. Surgem novas especializações, novos pré-requisitos para preencher boas vagas e etc. Mas há cinco, dez anos atrás, o cenário era de uma competição menos intensa, até porque as qualificações profissionais eram menos exigentes.   Um bom currículo com cursos, pós-graduação, MBA, intercâmbios e tudo […]

soft-skills

Cada ano que passa, o mercado de trabalho fica mais competitivo. Surgem novas especializações, novos pré-requisitos para preencher boas vagas e etc. Mas há cinco, dez anos atrás, o cenário era de uma competição menos intensa, até porque as qualificações profissionais eram menos exigentes.  

Um bom currículo com cursos, pós-graduação, MBA, intercâmbios e tudo mais que agrega valor ao profissional não é mais o suficiente no mercado de hoje. Não que competências técnicas não sejam importantes, porém o mercado hoje busca outro tipo de competências: as soft skills.

Soft Skills

Soft skills são as competências que competem a personalidade e comportamento do profissional. Envolvem aptidões mentais, emocionais e sociais. Podemos dizer que são habilidades particulares, pois nascem de acordo com as experiências, cultura, criação e educação de cada pessoa, entre outros fatores.  

As soft skills também estão relacionadas à sua forma de se relacionar e interagir com as pessoas e afetam os relacionamentos no ambiente corporativo e, por consequência, a produtividade da equipe. Além de serem difíceis de avaliar e não são adquiridas com capacitação técnica.

Hard Skills

As competências técnicas que acrescentamos ao currículo são as chamadas hard skills. São as habilidades que podem ser ensinadas em uma capacitação. Por exemplo: o uso de ferramentas e conhecimentos profissionais. Elas são desenvolvidas nos treinamentos corporativos para melhorar a qualificação profissional.

Soft skills no ambiente corporativo

Exercitar uma competência técnica é mais fácil do que exercitar uma competência comportamental. É possível adquirir essas competências fazendo um curso ou lendo um livro. Basta ser ensinado e aprimorado. Para uma empresa, treinar um colaborador tímido para usar seu sistema pode ser mais simples que empregar o mesmo colaborador na área de vendas.   

A geração mais jovem parece estar mais preocupada com a formação acadêmica para o mercado de trabalho e não dá muita atenção a inteligência emocional. A maioria deles não está preparada para encarar o mercado de trabalho. Visto que, ao terminar o ensino médio, o que é cobrado dos jovens são as hard skills. E na transição da adolescência para a vida adulta, os jovens encontram dificuldades em fortalecer a inteligência emocional.  

Mas além da inteligência emocional, as demais soft skills trarão foco, engajamento, motivação e produtividade. Por isso é preciso que as gerações de profissionais se adaptem às novas exigências do mercado. Hoje soft skills já são bastante exigidas por empresas e, quanto mais modernas e desenvolvidas as organizações forem se tornando, mais os profissionais precisarão dessas competências não-técnicas.  

O que as empresas buscam?

Segundo a pesquisa global Capgemini Digital Transformations Institute de 2017, 60% das empresas estão em uma crise de soft skills entre seus funcionários. A pesquisa ainda revelou que a busca por profissionais com soft skills vem aumentando. E a seguir, a porcentagem do que as empresas, dos 1.250 executivos da pesquisa, buscam:

  • Foco no Cliente (65%): prestar bom atendimento e dedicar-se ao cliente;
  • Colaboração (64%): cooperar com a equipe e na rotina de trabalho;
  • Paixão por aprender (64%): sair da zona de conforto e ir em busca de novos conhecimentos;
  • Habilidade Organizacional (61%): conhecimentos que o gestor precisa para compreender a complexidade da organização.

Além dos dados apresentados na pesquisa, há outras habilidades que as organizações buscam em colaboradores. Dependendo do perfil que a vaga pede, pessoas que têm uma tendência maior a serem líderes serão bem mais sucedidas. As que têm habilidade analítica terão sucesso em outro cargo. Mas há soft skills comum a todos os profissionais, que não competem apenas a funções específicas:

– Boa comunicação 

A importância de uma boa comunicação vai além do ambiente de trabalho. Sempre que há interação entre uma ou mais pessoas, o esperado é que todas as partes envolvidas consigam entender com clareza a mensagem que está sendo transmitida. Caso contrário, ocorrerá o famoso “mal entendido” e as consequências de uma mensagem interpretada erroneamente podem ser diversas.

Trazendo esse cenário para a realidade corporativa, um gestor pode não se expressar de maneira clara e passar a ideia errada para a equipe de colaboradores. Ou até mesmo os colaboradores podem se comunicar equivocadamente entre si.Por isso, um profissional que saiba se expressar bem, de maneira clara e objetiva, terá vantagem competitiva de mercado por dominar essa soft skill. Não necessariamente ele precisa ter o dom da oratória, mas pelo menos o mínimo de habilidade para se comunicar bem com as outras pessoas.

– Colaboração

A colaboração é uma soft skill que envolve outra: a comunicação, que já falamos acima. As duas precisam estar juntas, pois a colaboração nada mais é do que duas ou mais pessoas trabalhando juntas para atingir um objetivo comum. É importante que os profissionais colaborem e trabalhem em equipe, pois cada um que dominar certas habilidades poderão contribuir naquilo que seus desempenhos são melhores. Sendo assim, é como se um colaborador “complementasse” o outro no trabalho a ser desenvolvido.

– Relacionamento interpessoal

Há muitas áreas na empresa que conversam entre si. Contudo, para que haja uma coordenação entre essas áreas, os colaboradores de setores diferentes precisam se relacionar bem. O relacionamento interpessoal é fundamental, por exemplo, entre os profissionais de marketing e vendas. Ambos devem estar “conectados” e saber como se relacionar para atingir bons resultados nas suas respectivas áreas. E, também, atingir um objetivo ou meta comuns.

– Equilíbrio emocional e capacidade de trabalhar sob pressão

Na carreira de qualquer profissional, momentos mais intensos ocorrerão. Prazos curtos e muitos afarezes, clientes irritados, bronca do chefe, demissão, aquela promoção que não aconteceu… São várias as situações que nem sempre esperamos que podem acontecer. Isso na área profissional. Mas estamos sujeitos a acontecimentos desagradáveis na vida pessoal também. O equilíbrio emocional é essencial para que essas situações não afetem o comportamento ou o rendimento no trabalho. Além do mais, a capacidade de trabalhar sob pressão vem conforme o aprimoramento do equilíbrio emocional.

– Flexibilidade/Adaptabilidade

Hoje no mercado de trabalho há uma necessidade de se reinventar e se reestruturar. Surgem novos concorrentes, novas demandas e exigências. O currículo requer inclusão de novos conhecimentos e adaptação de funções. Na rotina de trabalho, inesperadamente, novas situações surgem e o colaborador, para se destacar, deve mostrar flexibilidade.

Como aperfeiçoar soft skills? Conheça 4 dicas:

Reconhecer potenciais e estimular

Dentro das equipes sempre há os profissionais que se destacam por suas particularidades. Com isso, é importante reconhecer as habilidades mais aparentes em cada colaborador e estimular o desenvolvimento delas. Diante deste cenário, é fundamental identificar aqueles que estão mais dispostos, engajados e comprometidos em melhorar.

Feedback

A constante troca de feedbacks contribui para que o colaborador consiga perceber quais são seus pontos fortes. Com um gestor fazendo avaliação na rotina de trabalho e detectando em quais situações o colaborador tem um melhor desempenho, dessa maneira será mais fácil trabalhar as soft skills.

Autoconhecimento

Muitas vezes o colaborador precisa do feedback do gestor para conseguir identificar suas soft skills. Mas independente de quem identificá-las (o gestor ou o colaborador), é fundamental praticar o autoconhecimento para aprimorar ou descobrir soft skills que não foram despertadas ainda.


Levando-se em consideração tudo que foi exposto, entendemos que as soft skills são as habilidades que muitas vezes temos como qualidades pessoais, mas que são as competências mais buscadas pelas empresas.

Hoje só as hard skills não são mais o suficiente para destacar um profissional no mercado. Por isso, as soft skills vem se tornando cada vez mais importantes e, pensando nisso, apresentamos dicas de como aperfeiçoá-las.

A partir deste artigo, esperamos ter lhe informado bem sobre o assunto.

Assista também ao vídeo do professor Marcus Bittencourt:

 

Caso ainda haja alguma dúvida, deixe nos comentários abaixo.

Até o próximo artigo!

Quanto ganha um youtuber e como ganhar dinheiro no youtube?
Como fazer um webinar pode te trazer ótimos resultados

Comentários (4)


  1. Pingback: Especialista ou Generalista? Nenhum! Tenha Multiconhecimentos! Parte#02. – Pensar Nascente

  2. 25/09/2018 às 11:04

    Excelente artigo Natasha, obrigado pela partilha 🙂

    Os consultores da Human Profiler também reuniram um lista de soft skills essenciais que poderá ser do interesse. Podem consultar aqui mais detalhes: http://blog.humanprofiler.com/como-aumentar-a-sua-produtividade-no-trabalho/ .

  3. Pingback: Mudança de carreira: quais são os primeiros passos para planejar? - ETALENT

  4. Pingback: Confraternização entre Voluntários da Trilha Empreendedora acontece na sede do IBP, no Centro do Rio – JA Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.