Um blog sobre planejamento,
gestão e otimização de cursos
e treinamentos online.

Fique por dentro de atualizações e novidades e potencialize seus resultados.

Acompanhe e faça parte!

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.

Plano de aula: guia completo para cursos online

Assim como em qualquer curso, é preciso que haja um plano de aula. Dessa forma, o professor consegue traçar melhor suas metas junto à turma e de que forma pretende alcançá-las. Um plano de aula pode ser definido como um roteiro que sistematiza os conteúdos que serão passados para os alunos. Nesse sistema, é organizado […]

Plano de aula para EAD

Assim como em qualquer curso, é preciso que haja um plano de aula. Dessa forma, o professor consegue traçar melhor suas metas junto à turma e de que forma pretende alcançá-las.

Um plano de aula pode ser definido como um roteiro que sistematiza os conteúdos que serão passados para os alunos. Nesse sistema, é organizado dentro de um período de tempo, a maneira como essas informações serão abordadas.

Tal organização é de suma importância para o sucesso de qualquer curso. Isso porque, abrindo mão do plano de aula, o curso perde grande parte da eficiência. Conteúdos podem se perder e o aluno pode se sentir disperso e desmotivado.

Um planejamento de aulas é um investimento de tempo que vale a pena. Mesmo um roteiro simples é capaz de fazer milagres no seu curso.

Há uma pequena diferença entre um plano de curso e um plano de aula. Já que um se trata do planejamento do curso como um todo, incluindo aulas, recursos, avaliações. E o outro, trata-se do do planejamento da aula, ou seja, como será a execução daquela aula especificamente.

Muitos autores, no entanto, usam os dois como sinônimos. Isso porque, o plano de aula segue a mesma lógica de organização de um plano de curso. Então, após estruturar o plano de curso, é só alinhar as especificidades do plano de aulas.

Essas especificidades também serão tratadas aqui. Assim como as diferenças entre o plano de aula EAD e presencial e todos os pontos de como montar um plano de aula.  

Diferenças no plano de aula EAD

O plano de aula para EAD é essencialmente parecido com o plano de aula do modelo presencial. No sentido de que também precisa explicitar os objetivos, os métodos, o cronograma.

No entanto, a forma de execução se difere. Como o curso é estruturalmente diferente, esse planejamento tem algumas particularidades.

No plano de aula voltado para o ensino online, é preciso pensar que o aluno tem mais meios de se distrair. Além da distração habitual que o presencial também tem, no EAD, o aluno é seu próprio supervisor.  

Portanto, é preciso que o docente se dedique mais ao planejamento para evitar que a aula seja deixada de lado. Para tanto, essa deve ser mais dinâmica, mais interativa e mais curta.

Como criar um plano de curso?

Ao planejar um roteiro de aulas você deve traçar um mapa mental que responderá as seguintes perguntas:

O que seus alunos já sabem?

Esse ponto acaba sendo um pouco mais subjetivo. Como o orientador ainda não conhece seus alunos, é difícil determinar especificamente em que ponto daquela linha de conhecimento estão.

De qualquer forma, é importante que o professor faça um apanhado do que já foi dito antes de começar um novo assunto. E nesse caso, em que é difícil determinar o que já foi dito antes, o professor deve se basear no que é necessário saber para entender o próximo tópico.

Pensando no conteúdo que será passado, quais conteúdos são básicos como pré-requisitos? Esse é o marco zero que o orientador vai tomar para começar as aulas. A partir daí, é só fazer a ponte com o objetivo do curso e você saberá como sequenciar as aulas.

Em resumo, parta do pressuposto de que seus alunos sabem até um determinado ponto. Seu papel é retomar esse ponto e avançar a partir dele.

O que precisam saber?

Esse é o objetivo do curso. Basicamente, aqui você dá o sentido de todo o curso. A partir do objetivo, você determinará qual o conteúdo principal.

Com o conteúdo definido, você desenhará a ementa do programa. Nela estará descriminado quais materiais de apoio serão usados e quais autores serão apresentados.

Esses materiais têm que ter ligação direta com o objetivo do curso, como no exemplo:

Objetivo: disseminar conhecimentos gerais sobre Marketing.

Conteúdo: conceitos básicos, cases de sucesso

Material: Livro Marketing Essencial: Conceitos Estratégias e Casos – Philip Kotler

Observe que os 3 pontos estão interligados, mas giram em torno do ponto principal, que é o objetivo.

Ou seja, tendo os objetivos bem definidos, você conseguirá determinar o que será passado em aula.

Como saberão?

Partindo do que seus alunos já sabem, e definido o que irão saber, você preencherá essa lacuna com como ajudá-los a chegarem no objetivo final.

Métodos

É importante focar sempre na necessidade de seus alunos e essa deve ser uma decisão tomada com cuidado. Uma vez escolhida deve permanecer até o fim do programa. Mudar de metodologia no meio do curso pode atrapalhar o entendimento dos estudantes. Além de transparecer para seus alunos uma falta de organização.

Por isso, pesquise bem a cerca do método que pretende aplicar. Procure referências, dados estatísticos, descubra qual a real eficácia da estratégia. Quando se decidir sobre qual executar, procure projetá-la para sua realidade. Imagine se, apesar de ser uma estratégia que deu certo em outros cursos, ela é viável para o seu curso.

Mesmo com esse cuidado padrão, no curso EAD, a escolha de metodologia é muito menos burocrática. Como os alunos EAD são de uma faixa etária que toma as decisões por si, não é preciso acordar com os pais previamente. Ao entrarem no curso provavelmente já estarão cientes de qual a metodologia usada.

Outra vantagem é que no modelo EAD é possível optar por metodologias inovadoras. A exemplo da aprendizagem adaptativa, em que o professor lida com o ritmo de cada aluno individualmente. Ou a gamificação, que usa jogos como recurso principal para o aprendizado. Ou até a sala de aula invertida, que mescla recursos do presencial com o AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem).

Estrutura

Sendo o seu curso online, você vai precisar de uma plataforma LMS eficiente. A plataforma precisa ter uma interface intuitiva, funcionar sem travamentos e te permitir interação com os alunos.

Todas essas e outras funções excelentes estão presentes na Edools. Você pode conhecê-las no nosso site voltado para funcionalidades, o Plataforma Ponto Edools.

Além disso, em termos de infraestrutura, é necessário pensar em alguns equipamentos indispensáveis, são eles a câmera e o microfone.

Usar webcam, que seria o recurso mais barato, não traz um bom resultado. Imagens pixelizadas ou granuladas incomodam o olhar e podem fazer o aluno perder o interesse. Além disso, tanto imagens quanto áudio ruim podem dificultar o entendimento do estudante.

Por isso, vale a pena investir nos equipamentos imprescindíveis e entregar um resultado verdadeiramente profissional. Além disso, não necessariamente o investimento será caro. Há no mercado várias opções em conta e que serão suficientes para as aulas.

Pense que, quanto melhor o material, mais alunos o curso terá. Dessa forma, rapidamente você terá retorno do investimento.

Segmentação

À essa altura você já vai ter em mente o escopo do curso, pois as principais perguntas já foram respondidas.  

Com essa estrutura definida, é hora de partir para a divisão de aulas. Você já sabe que vídeos curtos evitam que o aluno se distraia. Além disso, vídeos curtos engajam até 27x mais. Ou seja, é inviável gravar uma aula de 50 minutos num único vídeo. Por isso, é preciso segmentar os temas em pequenos assuntos e transformar cada um em um vídeo.

É possível que o aluno não assista todos os vídeos/assuntos de um mesmo tema no mesmo momento. Por isso,  é importante sempre retomar o que foi dito no vídeo anterior da sequência. Da mesma forma que você deve fazer uma pequena revisão antes do início do curso, acontece nas aulas.

Outro ponto é que o aluno pode se distrair e perder uma pequena parte da explicação. É verdade que ele tem o recurso de “voltar” a reprodução do vídeo. No entanto, essas interrupções acabam o deixando desestimulado. Fora os momentos em que ele simplesmente opta em não voltar para não ter que interromper o vídeo.

O que sugerimos é que você se habitue a repetir, sem exageros, as partes que dão suporte à explicação. Por exemplo:

A edools é uma plataforma LMS para hospedagem, gerenciamento e venda de cursos online, que se destaca cada vez mais no mercado EAD no Brasil.

Digamos que seu aluno tenha, por algum motivo, se perdido e tenha ouvido só uma parte da explicação. Ele vai entender que alguma coisa serve para “hospedagem, gerenciamento e venda de cursos online”, mas não vai saber o quê. Você pode facilitar o entendimento dele e evitar que ele precise interromper o vídeo, repetindo esses “suportes”. Dessa forma, ficaria:

[…] hospedagem, gerenciamento e venda de cursos online, que se destaca cada vez mais no mercado EAD no Brasil. Essa é a plataforma LMS Edools.

Essa estratégia pode ser aplicada à qualquer tema de maneira muito natural. É claro que exposta na escrita pode parecer estranha, já que você acabou de ler a informação completa. No entanto, durante a fala, pode ajudar muito os alunos perdidos a voltarem ao assunto.

Seguindo essas dicas, os seus vídeos se tornam mais dinâmicos e interessantes. Então vale a pena investir certo cuidado ao planejar a divisão de aulas.

Em quanto tempo?

A parte do cronograma se trata da duração do curso e das aulas. Seus alunos tem um prazo para acabar? Caso opte por estipular um prazo de conclusão, você deve levar em conta a quantidade de aulas e o tempo de cada uma delas.

Se os vídeos forem postados a medida que forem gravados, esse prazo será rigoroso para você também. Por isso, estipule uma data razoável de acordo com suas possibilidades de gravação e edição.

Caso os vídeos sejam postados depois de estarem todos gravados, esse prazo vale só para o aluno. Nesse caso você deve considerar também o tempo de exercícios e avaliação.  

Como criar um plano de aula?

Tendo o plano de curso bem estruturado, fica fácil organizar o plano de aula. Se você já sabe como vai funcionar o conjunto, é só seguir a mesma lógica ao pensar individualmente em cada aula.

Abordagem

Ao pensar em como abordar o assunto definido para aquela aula, você deve se colocar no lugar do estudante. Deve decidir qual a forma mais clara de você explicar o assunto.

É melhor seguir uma sequência mais tradicional de conceito>contexto>importância? Fazer uma analogia até chegar ao ponto de encaixe entre os dois exemplos?

A melhor abordagem vai variar de acordo com o assunto e com o perfil de alunos. Por isso essa etapa só acontece depois que o conteúdo e a segmentação de aulas estiverem determinados.

Recursos

Em termos de recurso, deve-se pensar o que pode ser usado para apresentar o conteúdo. Um gráfico, um desenho?

Vale ressaltar que o EAD te permite usar vários recursos tecnológicos que no ensino presencial são limitados. Pois praticamente todos os recursos disponíveis online para o professor também estarão para o aluno, em simultâneo.

Conclusão

Dar aulas online é uma oportunidade muito valiosa para aqueles que desejam ensinar, ter um negócio próprio ou alavancar a carreira. E ainda que essa prática seja realmente lucrativa, não se pode deixar a empolgação falar mais alto que o planejamento.

Por isso, é necessário pensar com cuidado todas as etapas para que o curso seja a ponte perfeita entre o que o aluno já sabe e o que precisa saber.

Seguindo todos esses passos, o seu curso tem muito mais chance de ser um sucesso.

E lembre-se, qualquer dúvida, nós podemos te ajudar.

Até a próxima!

Dinâmica de grupo: como aliar a tecnologia e inovação?
Dados do mercado EAD 2018 - EaDCast #3

Deixe uma resposta

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.