TUDO SOBRE EAD

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Por que mover seu treinamento para a nuvem?


O sistema EAD tem revolucionado a educação do mundo todo. Mobilidade, economia e flexibilidade ajudam a caracterizar o ensino a distância, que em contrapartida exige muito mais de instrutores e alunos. Para quem estuda, por exemplo, a disciplina é um dos maiores desafios. Afinal, é o próprio aluno que faz seus horários.

Mas o que isso significa no mundo de hoje? Oportunidade maior de desenvolvimento, mais liberdade, a já citada economia, entre outras grandes vantagens. Fica subentendido então que treinamentos online, dependendo do caso, podem agregar mais valor para os treinandos, do que os cursos presenciais.

Essa pode ser uma reposta adiantada para a pergunta do título. Mas para que você compreenda com mais clareza o que migrar para nuvem significa para seu negócio, aconselhamos que continue a leitura!

Estar na nuvem, mas manter os pés no chão

Se a abordagem de seu negócio de ensino é exclusivamente off-line, e mesmo você considerando a possibilidade de trabalhar online, a insegurança tem falado mais alto, existe uma saída. É uma possibilidade, digamos, equilibrada, para você aumentar os resultados sem se arriscar por completo.

O chamado blended learning (modelo hibrido entre o sistema online e presencial), pode ser uma ótima oportunidade para sua empresa se destacar e conquistar mais alunos. Diversas organizações de ensino do mundo estão se valendo deste sistema e alcançando maiores resultados.

No Brasil isso é conhecido como ensino semipresencial, onde ocorre a fusão entre a educação tradicional e a metodologia moderna, que se vale da tecnologia, principalmente a internet. Dependendo do ponto de partida, um curso mesclado pode servir como reforço para o ensino de face a face.

Este conceito prova que não é preciso pensar se um processo é superior ao outro e vice-versa.  Existe um ponto de equilíbrio, conquanto cada um pode ser vantajoso dependendo de aspectos como situação do aluno, da área de ensino e etc.

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Como a computação em nuvem avançou na educação online

Indo mais além, no intuito de responder de vez a grande questão proposta no título, tudo indica que, independe de ser apenas online, ou blended learning, a nuvem estará presente em quase tudo. A prova disso é a aderência da nuvem pelas Universidades, que oferecem aulas de graduação e pós-graduação total ou parcialmente online.

Guardar o conteúdo educacional em ambientes de nuvem tende a facilitar e muito o acesso, isso nas mais diversas formações acadêmicas e localidades, auxiliando, inclusive na continuidade de projetos, leituras e debates.

Por estas e outras vantagens, muitas instituições estão tomando posse da tecnologia com otimismo. No ano de 2014, a computação em nuvem se consolidou bastante no ambiente educacional e tudo indica que alcançará novos terrenos, nesse, e nos próximos anos.

Então…

De forma pragmática e sistêmica, todo tipo de conteúdo pode ser armazenado em nuvem, o que torna as coisas seguras e acessíveis em qualquer lugar, independentemente do dispositivo que esteja sendo usado. Isso é o que mais fascina na educação EAD moderna: A importância e acessibilidade ao conteúdo, a colaboração em qualquer espaço e a educação sem fronteiras!

Esperamos ter sido úteis mais uma vez. Se houver alguma dúvida, observação ou consideração, não hesite em deixar um comentário!

Como alavancar o seu curso online em meio à crise econômica
Crie uma nova fonte de receita com cursos online

Conteúdo VIP

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Sobre Maurilio Alberone

Atualmente é co-fundador do Edools e da Bizstart. Responsável pelo marketing e relacionamento com clientes do Edools, mas já desempenhou funções diversas. No passado foi professor universitário, consultor de gestão empresarial e empreendedor em outros negócios de tecnologia. É engenheiro de telecomunicações por formação, apesar de nunca ter exercido a profissão.
Ver todos os posts de Maurilio Alberone

Deixe uma resposta