Um blog sobre planejamento,
gestão e otimização de cursos
e treinamentos online.

Fique por dentro de atualizações e novidades e potencialize seus resultados.

Acompanhe e faça parte!

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.

Conheça a importância do plano de curso no ensino online

Planejar não se aplica apenas ao meio profissional. O planejamento faz parte do nosso dia a dia, inclusive nas atividades mais cotidianas. Dessa forma, nada mais natural que planejar cursos no meio online. Por isso, produzimos este artigo que explica a importância do plano de curso no ensino online e damos algumas dicas de como fazer isso.

plano-de-curso

O nosso dia a dia possui um mínimo de planejamento. Mesmo que você não se considere uma pessoa regrada e metódica, sempre pensamos no melhor horário para a academia, buscar os filhos na escola, fazemos lista do que comprar no mercado, roteiros de viagens…

A vida sempre tem um planejamento por menor e mais básico que ele seja, no mínimo para compor a rotina. Por isso, planejar é o primeiro passo de todo negócio de sucesso. E por que com o ensino online seria diferente?

No texto de hoje vamos falar sobre a importância do ato de se organizar ou determinar quais serão as ações que visam à realização de determinado projeto. Ter um plano de curso no ensino online é uma das principais funções para que o seu negócio gere lucro e não se perca no meio da trajetória.

No texto de hoje, vamos debater os seguintes temas:

Agora que já apresentamos alguns pontos que vamos abordar ao longo do texto, queremos mostrar que ao definir a linha a ser seguida, bem como os meios que serão utilizados, o empreendedor se poupa de dor de cabeça e de perdas financeiras, além de fazer com que o seu aluno tenha uma experiência mais fluida dentro da plataforma.

Confira no texto abaixo a importância de ter um plano de curso no ensino online!

O que é um plano de curso?

Um dos maiores desafios de quem quer montar um curso, seja ele qual for, é fazer com que os alunos aprendam o que você realmente deseja que eles aprendam.

Esse receio é especialmente válido em cursos de longa duração, no qual alguns temas podem ser esticados a ponto de desestimular e não corresponder às expectativas de aprendizagem.

Assim, entendemos que um dos principais pontos do plano de curso é garantir que as aulas sejam fonte de conhecimento para quem está assistindo.

José Carlos Libâneo, educador brasileiro bastante conhecido no meio pelas profundas contribuições teóricas que produz na área, afirma que o planejamento inclui “tanto a previsão das atividades didáticas em termos de organização e coordenação em face dos objetivos propostos, quanto a sua revisão e adequação no decorrer do processo de ensino”. Ou seja: o plano deve servir para que o professor elabore sua metodologia levando em consideração o objetivo a ser alcançado.

Outro meio de olhar o planejamento é entendê-lo como um instrumento que transforma ideia em realidade. É através dele que o empreendedor consegue prever como a sua ação irá performar em determinado período de tempo e sob condições pré-mapeadas.

O plano de curso é de extrema importância, afinal é ele que orienta o trabalho do dia a dia para que ele ocorra de modo organizado e esteja apto para proporcionar mudanças.

Em especial, quando falamos do segmento da educação, o planejamento está altamente ligado a promoção de uma mudança, que só é possível quando o aluno é apresentado ao conhecimento.

Curso livre, técnico ou tecnológicos?

Agora que já entendemos o que é um plano de curso e qual é a sua importância para quem quer empreender no segmento da educação, é preciso saber quais são as diferenças entre curso técnicos, tecnólogos e livres.

Algumas instituições de ensino oferecem as três modalidades e entender o papel de cada um vai ajudar na hora de montar um planejamento. Vamos lá?

Cursos livres são mais voltados para o desenvolvimento ou aperfeiçoamento em determinada área ou carreira.

São mais procurados por aqueles que já tem uma formação e querem se aprofundar em um segmento, ou atualizar seus conhecimentos para dar uma repaginada no currículo.

Eles não dependem da escolaridade, então podem ser feitos mesmo se a pessoa não completou o ensino médio.

Já os cursos técnicos se diferenciam dos livres por exigir uma formação escolar mínima, que é a conclusão do Ensino Médio. Esse tipo de especialização é indicada para quem quer um ingresso rápido no mercado de trabalho e para quem busca uma formação com foco na prática.

Desse modo, os cursos online garantem flexibilidade para o aluno estudar onde, quando e como quiser. Também é possível fazer um Ensino Médio técnico, também conhecido como escolas profissionalizantes.

Nesses casos, a carga de estudo é muito mais extensa do que a de uma escola tradicional: além do horário normal de ensino previsto pelo Ministério da Educação (MEC), o aluno precisa de outra carga horária para ter sua especialização técnica na área de sua escolha.

Por fim, os cursos tecnológicos são os de graduação. Eles só podem ser feitos por aqueles que já concluíram o Ensino Médio. Em alguns aspectos, são cursos semelhantes aos cursos técnicos, mas atenção às diferenças: o tecnólogo tem carga horária menor, podendo ser concluído em até dois anos, enquanto os de graduação duram de quatro a seis anos.

Além disso, os cursos técnicos são voltados para a necessidade do mercado de trabalho, com grande ênfase na prática. Já os tecnológicos, muitas vezes, trazem diversas matérias teóricas e não praticas.

Plano de curso no ensino online: por onde começar?

Sabemos que não existe uma única forma de elaborar um plano de curso – é preciso considerar fatores como o os assuntos abordados, o público-alvo que se pretende atingir e uma série de outros pontos.

No entanto, o que todos esses planejamentos têm em comum é que eles ajudam o professor a tomar decisões que vão impactar no modo como os alunos entendem o conteúdo proposto.

Dessa forma, aqueles que querem montar um plano de curso de qualidade devem seguir alguns princípios básicos. São eles:

Ementa

Aborda os temas que serão discutidos e qual é o objetivo do trabalho final a ser apresentado. No caso de cursos técnicos ou de graduação, as finalidades devem conversar entre si para que o aluno termine seus estudos com uma visão completa do mercado que ele pretende ingressar.

Objetivo geral

Resultados mais amplos que são esperados que o aluno tenha ao cursar aquela disciplina.

Objetivos específicos

São os mais imediatos, como a compreensão da temática, formação de conceitos e estabelecimento de relações entre o assunto abordado e os conhecimentos adquiridos anteriormente.

Conteúdo

Liste quais serão os tópicos apresentados e quais são as suas subdivisões. Assim, você consegue ter uma visão geral de quais são os assuntos e pensar na melhor estratégia para apresentá-los para seus alunos.

Metodologia

São os caminhos utilizados para chegar aos objetivos, ou seja, quais foram os métodos de ensino que o professor utilizou para passar conhecimento para quem assiste às aulas.

Atualmente, a mais comum é a exposição pelo professor: o docente apresenta o conceito, e ilustra com exemplos como ele é aplicado no cotidiano.

No entanto, há outros métodos, como o de projetos, que implica na investigação de um tema com planejamento, organização de dados e apresentação dos resultados para se obter um conhecimento mais profundo; o de trabalho em grupo, em que alunos desenvolvem tarefas determinadas pelo professor em conjunto e depois passam os resultados para o resto da sala, etc.

A alta complexidade dos cursos online limita as metodologias que podem ser usadas. Como em uma mesma sala de aula virtual podem existir alunos do país inteiro e com rotinas completamente diferentes, fica difícil propor trabalhos que exijam colaboração ou uma dedicação mais completa, como pesquisa em campo.

O plano de curso entra nessa hora para definir qual é a melhor metodologia que se aplica à realidade do curso e de seus alunos.

Avaliação

No final do curso, é preciso testar se os conhecimentos passados foram mesmo absorvidos. Não precisa ser algo muito formal, podendo servir para diagnosticar e acompanhar a turma – no entanto, graduações e cursos técnicos exigem a atribuição de notas e conceitos, e os alunos são passíveis de reprovação.

Muitos cursos online optam pela produção de um artigo acadêmico ou um material prático (um plano de marketing, por exemplo) como formas de avaliação.

Ouça seus alunos

O plano de curso não é algo estático: ele deve ser revisto de tempos em tempos para garantir que ainda faz sentido à realidade em que está situado. Por isso, crie canais de comunicação com seus alunos para recolher feedbacks que eles possam querer compartilhar. As opiniões deles devem ser levadas em consideração de maneira crítica, e podem ser eficazes para o aprimoramento do plano.

Muitos profissionais, de diversos níveis de carreira, estão buscando cursos online para aprimorarem seus conhecimentos e assim conquistar novas oportunidades no ambiente de trabalho.

Empreendedores de sucesso verão nesse segmento uma oportunidade a ser aproveitada e, para isso, deve-se fazer um plano de curso para garantir que o aprendizado será passado de uma maneira completa para os usuários.

Isso garante que os alunos sairão satisfeitos do curso e recomendarão para seus colegas, aumentando de forma orgânica o alcance da sua empresa.


Para saber mais sobre como melhorar seus resultados através de técnicas e ferramentas comprovadas por grandes nomes do mercado, continue acompanhando nossos artigos e inscreva-se na nossa newsletter.

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!


Como fazer o atendimento ao cliente nos seus cursos online?
Edools agora é HeroSpark!

Deixe uma resposta

Seu e-mail está seguro. Vamos enviar apenas dicas relevantes para o seu EAD.