TUDO SOBRE EAD

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Como funciona o Mobile Learning?


Como funciona o Mobile Learning?

Mobile Learning é uma modalidade de ensino e aprendizagem relativamente recente, que permite a alunos e professores criarem novos ambientes de aprendizagem à distância, utilizando para isso, dispositivos móveis com acesso à Internet.

O conceito Mobile Learning pode ser traduzido para português por aprendizagem móvel ou entendido como integração das tecnologias móveis no contexto educativo.

Mobile Learning nada mais é que utilizar do seu laptop, celular ou tablet na aprendizagem. Esta é uma forma de reduzir o tempo reservado apenas para o aprendizado, permitindo também a atualização mais rápida de conteúdos, em relação aos métodos mais tradicionais de ensino, o que dá maior qualificação aos profissionais que as instituições formam.

O conceito de mobile learning também não pode ficar preso apenas aos aplicativos para celular. Apesar de este ser um mercado importante, especialmente no aprendizado de línguas, você pode ainda acessar vídeos e arquivos de áudio, ou ainda produzi-los e enviar para colegas, entrar em redes sociais para debater temas estudados.

O Mobile Learning não almeja substituir nenhum processo de ensino aprendizagem, pelo contrário, esta tecnologia possibilita ser um tópico auxiliador neste processo, sendo apenas um meio de interação e ajudando o discente em suas atividades.

O Mobile Learning é uma modalidade de ensino e aprendizagem que abre um leque de novas oportunidades para o futuro. Permite levar a educação a locais de difícil acesso, onde não existem escolas ou professores, e onde a educação e formação é ainda considerada um privilégio de apenas alguns indivíduos.

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Para solucionar tais problemas, muitas instituições já adotam, o EAD conhecido também como e-learning. O ensino a distância utiliza recursos tecnológicos para realizar interação entre aluno e professor, sendo possível assistir aulas, ter acesso aos materiais e interagir com professores e colegas de classe usando apenas um computador conectado à Internet.

Assim, para proporcionar um ensino à distância mais interativo e dinâmico, tem-se aderido gradativamente ao Mobile Learning.

TENDÊNCIAS DO MOBILE LEARNING

Antes de pensarmos em mobile learning, vamos pensar em algumas das novidades tecnológicas que mais andam revolucionando, seja na educação, ou na socialização e inclusão de pessoas com deficiência ou restrição de locomoção, os dispositivos móveis tem se adaptado muito bem ao cotidiano das pessoas.

Na hora de fazer lista de compras, ler livros online, tirar fotos ou, no que nos interessa, para aprender. Professores e gestores tem levado a tecnologia para facilitar o dia a dia de estudos, trabalho e treinamento de equipes. Mas muitos são os usos da nova tecnologia. Nesta lista, os usos que se destacam e que tendem a crescer.

Os Ebooks parecem querer dominar o cenário do Mobile Learning. Nos Estados Unidos, por exemplo, já é o item mais vendido em algumas livrarias.

Seja o aprendizado coletivo online, com os blogs ou fóruns expalhados pela internet, ele pode ser construído coletivamente. Estudar através das redes sociais também é uma nova realidade, onde é possível trocar informações e tirar dúvidas por fóruns ou mensagens.

Para facilitar, professores tem investido em pequenas lições; com pequenas porções de conteúdo o interesse é despertado mais facilmente.

Por último, o uso de ferramentas móveis em aprendizado nas empresas, em treinamentos e capacitações. Diminui custos, garante que o acesso dos funcionários à novas soluções seja mais rápida e respeita o ritmo de aprendizado de cada pessoa. Promissor o cenário, não é? Isso é Mobile Learning.

Metodologias comuns do Mobile Learning

  • Videoaulas: gravadas em estúdio, geralmente de curta duração, especialmente para consumo em telas menores e em pequenos intervalos de tempo. O fornecedor pode disponibilizá-las apenas on-line, o que limita o acesso, ou em modo off-line.
  • Aplicativos: desenvolvidos sob medida para dispositivos móveis, podem combinar questionários interativos, conteúdo multimídia e mecanismos de interação entre os usuários.
  • Gamificação: jogos digitais completamente voltados à educação, que aproveitam mecanismos diversos, como personagens, pontuação, prêmios e níveis de dificuldade, a fim de dinamizar o processo de aprendizagem.
  • Livros digitais: podem ser simples arquivos estáticos em PDF ou explorar ao máximo os recursos multimídia disponíveis em dispositivos móveis, incluindo à leitura vídeos, áudios, etc.
  • Cursos e-learning: treinamentos desenvolvidos de acordo com padrões de mobilidade, como adaptação a telas pequenas, que funcionam a partir de ambiente virtual de aprendizagem também otimizado para mobile.
  • Redes sociais acadêmicas: disponíveis em dispositivos móveis por meio de aplicativos, possuem funcionalidades semelhantes a esses, mas com foco principal na interação entre os usuários.

A utilização do Mobile Learning no ambiente profissional e no acadêmico demonstra que patrões e professores já enxergam o potencial dessa modalidade. Em vez de combater a incorporação dos dispositivos móveis, aproveitam-se deles para melhorar o desempenho de colaboradores e alunos.

O Mobile Learning no âmbito corporativo

O Mobile Learning pode ser traduzido literalmente como “aprendizado móvel”. Este é o termo em inglês mais comum para definir ações de e-learning corporativo voltadas para dispositivos móveis.

O uso de tablets é mobile learning, mas tem aspectos chave, como o tamanho da tela, que os aproximam dos computadores comuns. Por isso, em geral, quando falamos em mobile learning estamos nos referindo às atividades de treinamento produzidas para smartphones, que serão realizadas fora da empresa e, muitas vezes, fora da residência do usuário.

Aqui vão algumas dicas para conteúdos que podem vir a rodar em computadores, tablets e celulares:

Dicas para implementação:

  • Mesmo sendo responsivos, o tamanho dos arquivos ainda é praticamente igual, então lembre-se de produzir conteúdos muito leves! Às vezes é necessário sacrificar parte da qualidade pela compatibilidade.
  • Monte aulas curtas. Isso também facilita o download e permite que o treinando aproveite os intervalos de tempo entre as atividades. Em caso de vídeos, como são contínuos, menos tempo ainda.
  • Considere dois minutos o tempo limite ideal e, até cinco minutos, um tempo suportável. Acima disso, provavelmente a adesão já será muito baixa.
  • Indique visualmente a duração de cada conteúdo.
  • Garanta que as zonas de interatividades (botões) sejam grandes, pois alguns alunos provavelmente irão utilizar os dedos (o touch) para clicar e não o mouse.

Objetivos

  • Melhorar os recursos para o aprendizado do aluno, que poderá contar com um dispositivo computacional para execução de tarefas, anotação de ideias, consulta de informações via Internet, registro de fatos através de câmera digital, gravação de sons e outras funcionalidades existentes;
  • Prover acesso aos conteúdos didáticos em qualquer lugar e a qualquer momento, de acordo com a conectividade do dispositivo;
  • Aumentar as possibilidades de acesso ao conteúdo, incrementando e incentivando a utilização dos serviços providos pela instituição, educacional ou empresarial;
  • Expandir o corpo de professores e as estratégias de aprendizado disponíveis, através de novas tecnologias que dão suporte tanto à aprendizagem formal como à informal;
  • Fornecer meios para o desenvolvimento de métodos inovadores de ensino e de treinamento, utilizando os novos recursos de computação e de mobilidade;
  • Otimizar o tempo, poder acessar o curso de forma prática e ágil também permite aproveitar o uso do tempo. Intervalos entre clientes, filas ou no transporte público, por exemplo;

A Internet

De fato, a Internet é a característica que traz com seus espaços virtuais a possibilidade de interação entre os indivíduos com o conhecimento e com seus pares.

É notável, por isso mesmo, os avanços trazidos para a educação, em todas as suas formas, pelo desenvolvimento da tecnologia computacional, com seus dispositivos móveis e sem fio, por  exemplo, modificando a relação entre os atores principais do processo de ensino aprendizagem, professores e alunos, e a interação com o conhecimento.

Assim, telefones celulares, laptops e smartphones, por exemplo, tornam-se importantes dispositivos mediadores do processo de ensino aprendizagem, abrindo possibilidades de novas propostas para a formação e qualificação de profissionais, cujo estado de mobilidade intensa também é um aspecto imposto pelo mundo na pós-modernidade.

Nesse contexto, a aprendizagem com Mobile Learning torna possível o acesso, em tempo real, pelos chamados espaços virtuais, ao conhecimento sistematizado, ampliando-se o ato educativo para além das salas de aulas, tornando o processo de ensino aprendizagem algo mais interativo, de caráter colaborativo, já que praticamente se extingue, nos ambientes virtuais, as distâncias físicas entre professores-alunos.

O Mobile Learning

A aprendizagem com Mobile Learning cumpre um papel importante no próprio desenvolvimento dos métodos educativos, enquanto seu advento é pauta de discussões das várias ciências, como as da psicologia e as ciências da computação, por exemplo, que encaram uma nova forma de relação entre indivíduos aprendizes e aprendizado.

Há algum tempo, a EAD pareceu ser um exemplo extraordinário de tecnologia aplicada à educação. No entanto, tornou-se obsoleta em não derrubar alguns paradigmas, como os dos espaços formais e fixos em que se processam o ensino aprendizagem.

O método do Mobile Learning, inova ao mostrar que a tecnologia móvel, que mediará o conhecimento e os indivíduos aprendizes, permite que as ações no ato educativo sejam negociadas, dinamizadas, para além de contextos pré-estabelecidos.

Plataforma

Os principais programas que têm demandado ações de educação a distância estão especialmente ligados às áreas de serviços e atendimento. Por exemplo, o varejo tem uma preocupação grande em relação à qualidade em todos seus serviços, desde o supervisor da operação até o profissional da limpeza e manutenção e isso demanda um programa de treinamento bem complexo em termos de qualidade e atendimento, de modo que são trabalhadas ações mistas de programas presenciais e à distância para atingir todo mundo. Tradicionalmente a educação a distância é aplicada para o pessoal de vendas, marketing e assistência técnica, mas tem havido um crescimento nos investimentos na área de serviços.

O gestor de e-learning deve se preocupar primeiramente em nivelar os colaboradores, pois muitos deles chegam tão mal preparados que sequer sabem fazer uma conta de percentual. Depois de cuidar do nivelamento da turma, o gestor vai se preocupar com os programas internos da empresa, atrelados à gestão e mapeamento das competências individuais para identificar lacunas e corrigi-las.

Dessa forma, surge a demanda por cursos customizados, que permitem o uso de todo o tipo de didática e mídias possíveis para atingir o desejo de todo professor: que o aluno retenha o conhecimento. A retenção na EAD é feita por meio de interatividade, estimulando todos os sentidos da pessoa de modo a obter o seu engajamento e, consequentemente, ela aprenda.

Hoje existem várias tecnologias que funcionam como zoom in e zoom out. Por exemplo, um treinamento para milhares de pessoas é o zoom out, ou seja, atingir o espectro mais amplo possível do público.

Para isso, é utilizado o LMS (Learning Management System) no qual qualquer pessoa pode acessá-lo e consultar cursos, participar de comunidades, fóruns, a partir de qualquer dispositivo, em qualquer lugar e a qualquer hora.

Como as funcionalidades dos LMS disponíveis no mercado são muito semelhantes, ao contratar uma plataforma de LMS o gestor de e-learning deve observar como está o fornecedor, se o software evolui constantemente, se ele tem infraestrutura para atender.

Conclusão

O Mobile Learning é uma modalidade do ensino a distancia que está crescendo a cada ano no país.

Quem ainda acredita que o Mobile Learning é coisa do futuro, está enganado, pois a modalidade já se difunde pelo mundo. Certamente, o que o tempo trará ao Mobile Learning serão níveis mais altos de maturidade e qualidade das soluções educacionais adaptadas para a mobilidade.

O fato de poder compartilhar aprendizado a qualquer hora e lugar constitui uma vantagem significativa, pois os alunos de cidades que não contém determinado curso ou não tem uma universidade disponível podem ter acesso.

Para que cursos online possam ter um melhor desempenho no Mobile Learning, os portais EAD tem a função de facilitar todo o tipo de divulgação e informações do curso em geral, através do uso de um LMS (Learning Management System).

O Edools tem hoje a melhor e mais completa plataforma LMS do mercado, onde é possível ter uma personalização completa de todo o seu portal EAD.

Conheça melhor como funciona uma plataforma LMS e tenha mais informações sobre como implementar o seu Mobile Learning testando o Edools gratuitamente por 15 dias clicando no botão abaixo:

Teste gratuitamente o Edools por 15 dias.


Se tiver alguma dúvida ou comentário a fazer sobre o Mobile Learning, entre em contato conosco ou compartilhe sua opinião através de um comentário.

Até a próxima!

Por que investir em cursos a distância?
Como funciona a sala de aula invertida?

Conteúdo VIP

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Sobre Rafaela Espíndola

Graduanda em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda. Faz parte do time de Marketing e Comunicação do Edools. É apaixonada por criação e inovação. Não consegue esconder que é canceriana dos pés à cabeça.
Ver todos os posts de Rafaela Espíndola

Comentários (1)


  1. Pingback: 3 maneiras de implementar a tecnologia educacional na sua instituição

Deixe uma resposta