TUDO SOBRE EAD

Coloque o seu email aqui para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Como o Big Data pode melhorar a gestão de RH?


Como o Big Data pode melhorar a gestão de RH?

A imensa quantidade de dados gerados e coletados pela Internet, conhecida pela expressão Big Data, promete transformar para sempre a avaliação de pessoas em ambientes corporativos.

As grandes empresas precisam ter, cada dia mais, um acompanhamento constante e minucioso de seus funcionários para serem assertivas em suas avaliações e tomadas de decisões. Por isso, cada detalhe se torna extremamente relevante e é preciso uma maneira eficiente para analisar e organizar todos os dados que são coletados.

Em RH, o Big Data ainda é um termo que representa uma grande tendência na área, por isso, o desconhecimento ainda é grande sobre como aplicá-los no dia a dia das empresas. O uso de tecnologia para analisar a imensa quantidade de informações que recebemos diariamente e aprimorar o gerenciamento de dados se faz indispensável nesse sentido.

Com as ferramentas corretas, é possível melhorar seus índices de atração, retenção e qualificação e, consequentemente, reduzir os custos com processos seletivos, com retenção de colaboradores e treinamentos corporativos da companhia.

Pensando nisso, o Edools e a Solides uniram forças para criar um material e de fato trazer uma visão bastante clara e prática a cerca da aplicabilidade do Big Data no sentido de melhorar a gestão de RH. O material pode ser visto em formato de ebook neste link, mas você também poderá acessar o conteúdo completo através desse artigo.

Boa leitura!

Big Data em RH

Na era do Big Data, uma das áreas que menos recebem informações e/ou soluções nessa transformação digital é a de Recursos Humanos.

Os profissionais do setor buscam com urgência saídas para aumentar eficiência e manter seus principais pilares de atuação: a de recrutar, reter e qualificar talentos (este último através de treinamentos corporativos) para as empresas. Assim, existe uma forte percepção de que o Big Data pode ajudar esses gestores, mas como isso pode acontecer?

Um das principais dificuldades do Big Data é saber como analisar todas as informações geradas, porque o volume delas é muito grande. Em outras palavras, se faz necessário extrair valor das informações coletadas e armazenadas pelo Big Data para que a sua utilização faça sentido.

Para resolver esse problema, o desafio aqui, em um primeiro momento, é unificar as bases de dados. Isso porque podemos dizer que a maioria das empresas atualmente possuem diversas bases distintas onde as informações encontram-se fragmentadas. Às vezes, uma mesma pessoa pode aparecer de três ou quatro formas e nem sempre é óbvio que se trata do mesmo indivíduo, por exemplo.

Trazendo para a realidade da área de RH, isso também ocorre bastante e o gestor não tem uma visão clara do colaborador, tornando mais lento e difícil o trabalho de identificar aquelas situações que são imprescindíveis para o negócio da empresa.

Neste sentido, o Big Data consegue mostrar ao gestor de RH como um colaborador atua dentro e fora da empresa, indicando se aquela pessoa tem potencial para se tornar uma liderança dentro na companhia e que tipo de treinamento ela precisa receber para chegar a este patamar.

Isso é considerado essencial em tempos atuais de retenção de talentos, visto que permite que a empresa direcione de maneira mais eficiente os recursos chave para qualificação de seus profissionais.

Em vias práticas, podemos dizer que existem dois momentos distintos para colocarmos em prática o processo como um todo: em primeiro lugar, é necessário unificar em uma única base de dados os fragmentos de informações para, em um segundo momento, iniciar a análise dessas informações, aumentando, por sua vez, a qualidade do banco de dados empresarial.

Esse seria o mundo ideal. Entretanto, como o Big Data está em uma evolução constante e, mesmo já sendo realidade para muitas empresas, ainda é uma grande tendência para outras. Logo, um problema muito comum observado é que como o Big Data ainda está amadurecendo, existem muitas empresas que ainda não sabem utilizá-lo de maneira eficaz.

Deste modo, normalmente é aconselhado que as empresas comecem a adotar o Big Data de maneira gradual para que aprenda a lidar com os dados gerados e enriquecer as informações coletadas.

Em outras palavras, a ideia aqui é primeiramente enxergar o dado como único para, posteriormente, começar a incluir novas informações a este dado e, por fim, entender de fato o que está ocorrendo em determinado cenário.

Para o RH, isso permitirá organizar e escolher quais os funcionários são os mais adequados para a empresa, quais são imprescindíveis, quais precisarão desenvolver habilidades com treinamentos corporativos, viagens, eventos, entre outros.

Para melhor direcionarmos como o Big Data pode ser útil ao setor de RH, o próximo tópico fala justamente sobre isso, onde focamos em três benefícios exclusivos: Recrutamento e Seleção, Retenção de Talentos e Treinamentos Corporativos.

Como o Big Data pode ser útil ao RH?

Recrutamento e Seleção

Você já parou para pensar em como as empresas em geral buscam por candidatos para vagas nas mais diversas áreas no mercado? E na sua empresa, como é essa busca? Podemos dizer que a maioria das grandes empresas investem em alguns anúncios, divulgação de vagas em sites de recrutamento e seleção, redes sociais, entre outros.

No entanto, será que esse formato é a forma mais efetiva para se conseguir atrair o candidato ideal?

Dependendo do caso, fazer buscas no LinkedIn pode ser bem mais eficiente. O Google, por exemplo, é uma empresa que se utiliza muito dessa tática, onde muitos talentos da empresa são encontrados através do perfil do LinkedIn.

Outro ponto que pode ser levantado, os melhores candidatos entram em contato por e-mail ou preenchem um formulário no site da empresa?

Todas essas hipóteses podem (e devem) ser mensuradas a partir da utilização do Big Data no RH, este funcionando aqui como uma espécie de teste A/B para o processo de recrutamento e seleção.

Mas a sua aplicabilidade vai muito além de conseguir com que bons profissionais se candidatem a uma das vagas na sua empresa. A ideia é conseguir identificar candidatos com maior potencial e probabilidade de ser bem sucedido na empresa.

Como exemplo, podemos citar uma determinada empresa que fazia todo o processo de recrutamento e seleção respaldado com base no renome da instituição de ensino e no rendimento acadêmico dos candidatos.

Neste caso, um dos analistas da empresa buscou ir além para verificar se fazia sentido manter esses requisitos e resolveu aplicar análises estatísticas para mensurar questões como vendas, produtividade e turnover de novos empregados.

Como resultado, podemos dizer que os fatores classificados como mais importantes e relevantes para a empresa em questão até então refletiam muito pouco no sucesso do profissional contratado. Por este motivo, novos fatores foram correlacionados com o sucesso: como ausência de erros gramaticais e de digitação no currículo, o fato de não largar um curso antes de conseguir o diploma, entre outros.

De forma similar, o Big Data também tem sido bastante utilizado com o intuito de identificar funcionários-problema: com mais chances de processar a empresa por exemplo. Isso é algo controverso e que já tem até se tornado um problema jurídico.

Em suma, podemos dizer que o Big Data vem revolucionando a maneira como empresas dos mais variados segmentos de mercado estão realizando seus processos de recrutamento e seleção. Com a tecnologia a seu favor, é possível fazer desse processo como um todo muito mais eficiente, refletindo em um maior resultado para a empresa no curto, médio e longo prazos.

Retenção de Talentos

Para um profissional da área de RH, não é novidade quando falamos que a motivação não é fruto apenas de aspectos financeiros, como bons salários e benefícios. Muitos profissionais, em especial os mais jovens, valorizam mais a flexibilidade do trabalho, as conexões dentro da empresa, a cultura, o ambiente de trabalho, etc.

Ter acesso a essas informações e conhecer isso de maneira mais profunda é um bom começo para conseguir reter os funcionários talentosos, tarefa extremamente importante, principalmente porque são esses profissionais que são disputados pelo mercado de trabalho.

Essa é mais uma aplicação de Big Data em RH. A análise de dados pode ser uma forte aliada para que a empresa consiga fornecer benefícios mais adequados, a fim de motivar e reter seus funcionários.

Saber utilizar de maneira eficiente o Big Data em RH, neste caso, pode fazer com que os índices de turnover sejam reduzidos consideravelmente em uma empresa, otimizando e maximizando os resultados e lucros empresariais.

Treinamentos Corporativos

Como vimos anteriormente neste material, um dos grandes recursos que o Big Data oferece aos profissionais de RH de empresas em geral é avaliar o nível de conhecimento e necessidade de treinamentos por parte de colaboradores.

Como o Big Data consegue transformar muitos dados em informações relevantes ao negócio, fica mais fácil conhecer as referências dos colaboradores e direcioná-los aos melhores treinamentos de acordo com suas demandas e necessidades.

Para tal, o mais indicado a se fazer é atuar com treinamentos corporativos na modalidade de ensino online. Isso porque a gestão, análise e atualização de dados se tornarão muito mais fáceis e eficientes do que os treinamentos presenciais tradicionais.

Como falamos, todo o processo de coleta de dados é feita em formato digital e, para que os treinamentos tenham uma aplicabilidade prática, faz se necessário que os mesmos se deem em um sistema de gestão de aprendizagem, ou um LMS (Learning Management System), como também é chamado.

Esse é uma das atribuições quando o profissional de RH trabalha com a educação corporativa nas empresas.

Nesse contexto, com um LMS, como é o caso do Edools (que nesse caso funciona como a própria tecnologia do Big Data), é possível avaliar toda a interação do aluno (colaborador) com o treinamento que o mesmo está cursando, onde ele gasta mais tempo, quais páginas ele visita em maior quantidade, quais videoaulas estão sendo mais consumidas por ele, onde ele está tendo maior dificuldade, além de outras diversas informações relevantes ao negócio.

Logo, o próprio LMS gera dados de extrema utilidade para o gestor de RH, onde o mesmo pode se valer disso para melhorar a tomada de decisões, em seus mais variados aspectos.

Em outras palavras, utilizar o Big Data em treinamentos online, através de uma plataforma LMS, como o Edools, pode transformar profundamente os processos empresariais que vão desde o gerenciamento e desenvolvimento de projetos até a mensuração de resultados mais eficiente.

Em conclusão, gestores de RH que se utilizam de treinamentos online para melhor qualificar os colaboradores de suas empresas têm em mãos informações cada vez mais relevantes que permitem prever com precisão o comportamento do aluno e como o mesmo reage a diversas situações por ele impactados.


Concluindo

Por mais que o Big Data possa ser visto muitas vezes como um tema complexo, de difícil compreensão, trata-se, na verdade, de uma ferramenta importantíssima para o setor de Recursos Humanos.

Os líderes de RH podem, por exemplo, avaliar a eficácia de um programa de aprendizagem entre várias regiões geográficas ou medir o engajamento dos funcionários em diferentes unidades de negócios para, enfim, decidir quais serão os próximos passos.

É preciso ter mais informações, afinal, coletar e analisar dados sobre colaboradores e o seu impacto no desenvolvimento dos negócios é uma atribuição primordial do RH nos dias de hoje, e basear esse processo contando com o maior número de informações possíveis oferece resultados muito mais precisos e valiosos.

Em todo o mundo, as equipes de RH têm agora uma oportunidade única de enfrentar os atuais desafios da gestão estratégica de talentos nas empresas.

No entanto, em primeiro lugar, a função precisa passar por uma grande transformação, em que os profissionais de RH desenvolvam novos conhecimentos em análise de informações e unam-se a parceiros de confiança para terem acesso às mais recentes tecnologias de gerenciamento de dados, como é o caso do Edools e da Solides.

Recrutamento e seleção de pessoas: como aprimorar com um LMS?
Como um treinamento corporativo pode diminuir índices de rotatividade?

Conteúdo VIP

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Sobre Bruno Mendonça

Atualmente é responsável pelo marketing e comunicação do Edools. Já atuou em consultorias de marketing, e-commerce e tem experiência em empresas de educação. É publicitário formado pela ESPM-RJ e possui MBA em Marketing Digital pelo Instituto Infnet.
Ver todos os posts de Bruno Mendonça

Deixe uma resposta